Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

AJUFE firma parceria com a FGV para a implementação de um programa de capacitação de magistrados em Poder Judiciário

quarta-feira, 14 de dezembro de 2005


AJUFE firma parceria com a FGV para a implementação de um programa de capacitação de magistrados em Poder Judiciário


A Associação dos Juízes Federais do Brasil - AJUFE acaba de firmar convênio de cooperação técnica com a FGV para a implementação de um programa de capacitação de magistrados em Poder Judiciário. O convênio terá vigência por prazo indeterminado e foi assinado pelo presidente da AJUFE, Jorge Maurique, e pelo vice-diretor da Escola de Direito do Rio de Janeiro, da FGV, Sidnei Gonzalez, tendo como testemunhas os juízes federais Ivan Lira de Carvalho, do Rio Grande do Norte, e Gabriel Wedy, delegado da AJUFE no Rio Grande do Sul, além do desembargador Benedito Gonçalves, do TRF da 2ª Região, e do juiz Elton Martinez Carvalho Leme, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que é auxiliar da presidência do CNJ e coordenador do Centro de Justiça e Sociedade da Escola de Direito da FGV.


Segundo destacou Maurique, o convênio é uma aspiração de muitos anos da AJUFE e vem ao encontro da meta atual da Justiça Federal, de buscar um sistema de planejamento estratégico, basicamente destinado aos Tribunais. “Além disso, faz parte de nossa atuação institucional buscar parcerias para melhor qualificação do corpo de magistrados da Justiça Federal”, afirma ele, lembrando que a FGV busca justamente prestar assistência técnica a organizações públicas ou privadas com o objetivo de coadjuvá-las na busca da eficiência, produtividade e qualidade de serviços. “A FGV tem promovido e estimulado especialmente ações de modernização da administração da Justiça brasileira, pela articulação com órgãos públicos, agências internacionais e organizações da sociedade civil, como a AJUFE”, enfatizou Maurique.


O interesse dos juízes por capacitação é tanto que o TRF e a Escola de Magistratura da 2ª Região já darão largada amanhã, no Rio de Janeiro, ao primeiro curso do convênio, do qual devem participar 45 magistrados. “O enfoque básico e geral do nosso curso é a melhor atuação do juiz no contexto atual que o país exige, visando principalmente a gestão administrativa”, explica Sidnei Gonzalez, da Escola de Direito da FGV. “Mas o programa disciplinar pode variar de acordo com as necessidades específicas de cada Tribunal ou região”. Dessa forma, a grade de disciplinas pode incluir, por exemplo, de matemática financeira a direito econômico, passando pelo impacto econômico e social das decisões judiciais.


Os cursos serão ministrados em módulos de 180 horas (duração de nove meses) e 360 horas (18 meses).


_______________________

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes