Quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

Aposentadoria

Impulsionado por origem humilde, JB despede-se do STF em meio a opiniões divididas

Próximo à despedida oficial do cargo mais alto que alçou, rememore a história do ministro JB.

terça-feira, 1º de julho de 2014

Nascido em 7/10/1954, Paracatu/MG, Joaquim Benedito Barbosa Gomes é o primogênito de oito filhos. De reconhecida origem humilde, sendo seu pai pedreiro e sua mãe dona de casa, realizou na cidade natal os estudos primários no Grupo Escolar Dom Serafim Gomes Jardim e no Colégio Estadual Antonio Carlos. Cursou o 2º grau no Colégio Elefante Branco, de Brasília/DF.

Formação e labor

Graduado em Direito pela UnB (Turma de 1979), JB é doutor e mestre em Direito Público pela Universidade de Paris-II (Panthéon-Assas), onde cumpriu programa de doutoramento, que resultou na obtenção de três diplomas de pós-graduação. Barbosa também concluiu mestrado em Direito e Estado na UnB (1980/1982).

Foi Oficial de Chancelaria do Ministério das Relações Exteriores (1976/1979) – tendo servido na Embaixada do Brasil em Helsinki, Finlândia –, advogado do Serpro (1979/1984), chefe da Consultoria Jurídica do Ministério da Saúde (1985/1988) e membro do MPF de 1984 a 2003, com atuação em Brasília (1984/1993) e no Rio de Janeiro (1993/2003).

Vida acadêmica

Mantendo estreitas ligações com o mundo acadêmico, Joaquim Barbosa é professor adjunto licenciado da Faculdade de Direito UERJ, onde ensinou as disciplinas de Direito Constitucional e Direito Administrativo. Foi Visiting Scholar (1999/2000) no Human Rights Institute da Columbia University School of Law, em Nova York, e na University of California Los Angeles School of Law (2002/2003).

Nomeação STF

Foi nomeado ministro do STF em 2003, pelo então presidente Lula, em vaga decorrente da saída do ministro Moreira Alves. JB teve passagem pelo TSE como membro proveniente do STF (2006/2009) e é o atual presidente da Corte Suprema e do CNJ (2012/2014).

Hobbies

Elegendo Honoré de Balzac como seu "escritor de cabeceira", JB emplaca Comédia Humana como o clássico ao qual se recorrer para "entender o espírito da sociedade sob a qual nós vivemos. Você vai achar tudo ali."

Fã de música popular, Joaquim chegou a declarar em entrevista concedida ao jornalista Roberto D'Avila, para o programa Roberto D'Avila, da GloboNews, que também já gostou muito de rock. "Escuto bem menos. Agora o que eu mais escuto é musica clássica e jazz, nos últimos, sei lá, 20 anos."

Aposentadoria

Em 29/5, Joaquim Barbosa comunicou sua aposentadoria, antes mesmo de findar o mandato na presidência da Corte. À época do anúncio, o ministro não informou os motivos de sua saída antecipada, mas disse que pretende "se dividir entre Brasília e o Rio de Janeiro".

Nesta terça-feira, 1º/7, JB presidirá sua última sessão na Corte Suprema e despede-se do cargo de ministro do STF aos 59 anos. Praça dos Três Poderes, STF, Plenário, às 9h.

leia mais

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes