Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

Aposentadoria

Petros deve recalcular aposentadoria de um ex-funcionário da Petrobras

Fundação havia modificado a sistemática de cálculo depois que trabalhador aderiu ao plano.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

O juiz de Direito Tom Alexandre Brandão, da 2ª vara Cível de SP, determinou que a Petros recalcule a suplementação da aposentadoria de um ex-funcionário da Petrobras, sem aplicação de coeficiente redutor ou fator de redução. A Fundação havia modificado a sistemática de cálculo, no entanto, o magistrado entendeu que as alterações ocorridas não poderiam atingir beneficiários que já haviam aderido ao plano.

O ex-trabalhador sustentou que os valores de sua aposentadoria foram calculados de forma incorreta, sendo necessária a aplicação do "Regulamento PETROS" de 1969, cuja adesão automática aconteceu quando ele ao ingressou na Petrobras em 1970.

A norma do regulamento dispõe que devem ser computadas, de forma valorizada, todas as parcelas estáveis da remuneração, assim consideradas as que sofrem incidência das contribuições ao INSS; referentes aos 12 últimos meses da vinculação trabalhista com a Petrobras.

"O autor deve sujeitar-se à regra do regulamento da Petros com a redação de 1969, sendo inaplicáveis as alterações efetivadas no regulamento de 1984."

De acordo com a decisão, a Petros ainda deverá pagar as diferenças decorrentes da implementação do novo critério, com atualização monetária a contar do vencimento de cada parcela e com acréscimo de juros moratórios de 1% ao mês a contar da citação, observado o prazo prescricional de 5 anos contados do ajuizamento.

O escritório Alino & Roberto e Advogados representou o ex-trabalhador no caso.

  • Processo: 1104501-28.2013.8.26.0100

Veja a íntegra da sentença.

_____________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes