Quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

ISSN 1983-392X

Falecimento

Luto no Direito Criminal - Morre Arnaldo Malheiros Filho

Advogado faleceu nesta terça-feira, 24.

terça-feira, 24 de maio de 2016

O Direito brasileiro perdeu hoje não um advogado qualquer. Perdeu um baluarte, um líder, um guia a ser seguido.

A tarde desta terça-feira, 24, enlutou a advocacia. Aos 65 anos, faleceu o advogado Arnaldo Malheiros Filho.

Ele estava internado no Hospital Sírio Libanês, em SP, e faleceu em decorrência de complicações de uma cirurgia. O velório será amanhã, a partir das 10h, no Cemitério e Crematório Horto da Paz (rua Horto da Paz, 191, Itapecerica da Serra, SP), onde ocorrerá a cerimônia de cremação às 12h.

Migalheiro de primeira hora, era um dos grandes apoiadores deste site, fato que muito nos honrava. Preocupado com o vernáculo, não raro nos puxava a orelha fazendo apontamentos e sugestões.

A alta Direção deste rotativo falou com ele a última vez no dia 26 de fevereiro. Na ocasião, enviamos encômios por uma entrevista que ele concedeu a uma emissora de televisão. No seu melhor estilo, respondeu-nos dessa forma: "Muito obrigado pela gentilíssima mensagem, coisa de verdadeiro amigo. É um afago na refrega e no ego também."

Unia-nos a amizade ao velho colega das Arcadas, Clóvis Caparaó. Quando de seu falecimento, em 2003, Arnaldo Malheiros Filho enviou a seguinte mensagem:

"Com Clóvis de Caparaó (Migalhas n°751 – 28/8/03 - Morreu "Caparaó") vai-se embora um pedacinho do Largo de São Francisco, naquilo que a Academia tem de melhor: Uma inteligência fulgurante abrigada num espírito inquieto, inconformado e incapaz de concessões ao convencional. Faltam-me palavras para descrever essa singularíssima figura, tão marcante para as turmas que passaram pelo Largo na segunda metade da década de 60 e na primeira da de 70. Seu desempenho na docência, fazendo com que deixe lembranças caras em tantos alunos, as alturas a que elevou a Faculdade de Direito de Franca, mostram que a centelha que todos viam no estudante era a do bom fogo. Muita saudade..." Arnaldo Malheiros Filho

Unia-nos a devoção ao mestre Goffredo da Silva Telles. Unia-nos, sobretudo, a defesa do Estado de Direito.

E como foi profícua, para nós, essa união. Quanto aprendemos com ele!

Fica-nos a saudade. A saudade da inteligência viva, aguçada. Da gentileza, do respeito.

Aos familiares enlutados, em especial ao querido pai, dr, Arnaldo Malheiros, enviamos nosso fraternal abraço.
___________________

Em entrevista à TV Migalhas em 2006, Arnaldo Malheiros Filho falou da importância dos advogados estarem vigilantes nas CPIs. Veja o vídeo:

___________________

Bacharel em Direito pela USP, turma de 1972, realizou pós-graduação em Direito Penal e Processo Penal (USP, 1974).

Malheiros foi conselheiro e diretor da Associação dos Advogados de São Paulo de 1979 a 1983. De 1993 a 1994, foi conselheiro Federal da OAB. Era presidente do Conselho Deliberativo do Instituto de Defesa do Direito de Defesa - IDDD. Também atuou como orientador acadêmico e professor de Direito Penal Econômico no crso de especialização da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas.
___________________



leia mais

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes