Domingo, 8 de dezembro de 2019

ISSN 1983-392X

Promoção

Resultado do sorteio especial – Edição 4.000

A coleção é composta por 16 livros de bolso com frases de grandes escritores e juristas brasileiros.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

A participação dos leitores tornou-se peça fundamental para chegarmos onde estamos : na edição 4.000 deste rotativo. Celebrando a data, Migalhas sorteia o box com obras das melhores frases de grandes escritores e juristas brasileiros.

A coleção é composta por 16 livros de bolso, com a presença dos ilustres Machado de Assis, Euclides da Cunha, Eça de Queirós, José de Alencar, Rui Barbosa, Aluísio Azevedo, Olavo Bilac, Camilo Castelo Branco, Bastos Tigre, Bernardo Guimarães, Paulo Bomfim, Lima Barreto, Joaquim Nabuco volume I e II, Luís Roberto Barroso e Padre Antônio Vieira.

Confira mais sobre as obras :

"Migalhas de Machado de Assis" - (265p.)

Fruto da leitura cuidadosa dos romances, contos, crônicas, textos e correspondências do escritor do Cosme Velho, a equipe de Migalhas apresenta este simpático livrinho de bolso com frases de Machado de Assis. São mais de 1.000 frases, com toda a verve machadiana. Aforismos saborosos, feitos na medida da nossa vida, com suas contradições, seus descaminhos, suas idas e vindas.

"Migalhas de Euclides da Cunha" - (276p.)

São mais de 400 trechos minuciosamente escolhidos para proporcionar ao leitor uma visão do conjunto das obras euclidianas.



"Migalhas de Eça de Queirós" - (368p.)

De Portugal para as páginas migalheiras. Sem dúvida Eça de Queirós deixou uma obra incomparável, cuja atualidade e frescor podem ser certificadas em um livro de bolso cuidadosamente preparado por Migalhas.



"Migalhas de José de Alencar" - (260p.)

As "Migalhas de José de Alencar" oferecem ao leitor preciosidades do grande romancista, jornalista e advogado do século XIX.




"Migalhas de Rui Barbosa" - (320p.)

Migalhas mais uma vez delicia-se em selecionar as preciosidades de grandes mestres da literatura. Desta vez os dizeres foram catados na vasta obra do jurista Rui Barbosa, que reúne mais de 50 volumes, artigos jornalísticos, trabalhos jurídicos, conferências e discursos. São as "Migalhas de Rui Barbosa" para a apreciação do leitor.

"Migalhas de Aluísio Azevedo" - (265p.)

Aluísio Azevedo nasceu em 1857, em São Luís do Maranhão. Autor de romances como "O Mulato", "O Cortiço" e "Casa de Pensão", é um expoente do realismo. No rico universo de suas criações, até mesmo nas obras mais esquecidas, a equipe de jornalistas dos site Migalhas selecionou, cuidadosamente, 665 saborosas frases. "Migalhas de Aluísio Azevedo" é o sexto livro de aforismos elaborado pelo portal Migalhas.

"Migalhas de Olavo Bilac" - (240p.)

Colhidas sobretudo em seus textos jornalísticos, mas também nas muitas conferências que apresentou e até mesmo em seus célebres poemas, as frases enfeixadas permitem entrever muito do universo vivido e retratado pelo artista da palavra que foi Olavo Bilac.


"Migalhas de Camilo Castelo Branco" - (320p.)

A Editora Migalhas apresenta aos fãs do romancista estas "Migalhas de Camilo Castelo Branco", uma compilação de aforismos do autor. As cerca de mil frases reunidas apresentam o melhor da ironia, do sarcasmo e sentimentalismo dos textos camilianos, que surpreendem com sua sagacidade a cada nova leitura.


"Migalhas de Bastos Tigre" - (192p.)

A obra reúne mais de trezentas frases extraídas dos livros, novelas e poemas de Bastos Tigre. Essencialmente um poeta, Manoel Bastos Tigre foi bibliotecário, engenheiro, jornalista, compositor e publicitário.



"Migalhas de Bernardo Guimarães" - (128p.)

A obra reúne dezenas de aforismos do escritor Bernardo Guimarães. Estudante de Direito no Largo de São Francisco, sua iniciação nas letras fez-se pelas portas da poesia marcada pelo devaneio e pelo macabro, para mais tarde, a partir da década de setenta, lançar-se à ficção.



"Migalhas de Paulo Bomfim" - (240p.)

Centenas de aforismos, recolhidos nas principais obras de Paulo Bomfim, deixam claro o motivo pelo qual o escritor ganhou notoriedade como o "príncipe dos poetas".




"Migalhas de Lima Barreto" - (320p.)

As obras de Lima Barreto realizam crítica a alegorias de país e paisagem que foram internalizadas pelos brasileiros graças à força da penetração do romance e suas estratégias de comunicabilidade.



"Migalhas de Joaquim Nabuco - Volume I" - (288p.)

Advogado, político e jornalista. Corria nas veias de Joaquim na Nabuco não só a paixão pela palavra, mas o inconformismo com a escravidão. As relações econômicas e sociais do país nunca o iludiram. "Não basta acabar com a escravidão. É preciso destruir sua obra." Neste livro de aforismos, Migalhas traz à lume, por meio de frases, a marcante trajetória desse patriota que lutou por um Brasil mais justo.

"Migalhas de Joaquim Nabuco - Volume II" - (320p.)

Nunca foi tarefa fácil a Joaquim Nabuco conciliar a posição política que ocupava com a postura abolicionista e a defesa pela separação de Estado e religião. A incansável luta deste imortal deu origem a inúmeras obras. Neste segundo volume, Migalhas dá continuidade ao minucioso trabalho e reúne preciosos aforismos do advogado, político e jornalista.

"Migalhas de Luís Roberto Barroso" - (336p.)

A obra é uma coletânea de saborosas frases retiradas da extensa bibliografia do jurista.





"Migalhas de Padre Antônio Vieira" - (288p.)

Passados mais de trezentos anos da morte do Padre Antônio Vieira, os escritos do Imperador da Língua Portuguesa ainda apresentam um grau de atualidade suficiente para continuar merecendo a atenção de número considerável de estudiosos.



____________

Ganhador :

Allan Sidney do Ó Souza, promotor de Justiça em Cuiabá/MT

____________


patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes