Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

ISSN 1983-392X

Morre o poeta Haroldo de Campos

Poeta criou o movimento de Poesia Concreta nos anos 50

segunda-feira, 18 de agosto de 2003

 

Morre o poeta Haroldo de Campos

Morreu no último sábado o poeta, crítico e tradutor Haroldo de Campos aos 73 anos, em São Paulo. O intelectual estava na Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, e morreu à 1h, de falência múltipla de órgãos.

Nascido em 19 de agosto 1929 na capital paulista, Campos consagrou-se em 1956 como um dos criadores do movimento de poesia concreta junto a Augusto de Campos e Décio Pignatari.

Foi autor de mais de 30 livros, entre eles "Servidão de Passagem" (1962), "Galáxias" (1976), "Deus e o Diabo no Fausto de Goethe" (1981), "Ideograma" (1994) e "Os Nomes e os Navios, Homero, Ilíada II" (1999).

Campos era formado em Ciências Jurídicas e Sociais e doutor em Letras. O ensaísta construiu uma carreira baseada em estudos no exterior, como leitor junto à Cátedra de Filosofia na Universidade de Stuttgart, na Alemanha, e como professor visitante nas universidades do Texas e Yale, nos Estados Unidos. Haroldo de Campos deu aulas de pós-graduação em Semiótica e Literatura na PUC de São Paulo, onde era professor emérito desde 1990.

Era poeta, tradutor de poesia e literatura e ensaísta. Recebeu diversos prêmios, incluindo cinco Jabuti, o principal de literatura no Brasil.

Compôs ainda vários CDs, como "O Paulista Adora Paulista", juntamente com Péricles Cavalcanti e participou, entre outros, do álbum "Circuladô", de Cateano Veloso, em 1991.

O corpo de Haroldo de Campos foi velado no Hospital Beneficência Portuguesa e foi cremado às 16h do sábado, no Cemitério da Vila Alpina.

____________________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes