Terça-feira, 28 de janeiro de 2020

ISSN 1983-392X

Ligação

Autor diz que “juiz se sente Deus” e xinga funcionários de vagabundos

O homem ligou no local pretendendo falar com o juiz. Sem êxito, disparou ofensas e grosserias contra os funcionários e o magistrado.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

“Juiz se sente Deus, não trabalha, só fica em casa e não recebe ninguém no gabinete”. Essas foram as palavras de um homem, que figura como autor de processo no TJ/RS, ao tentar falar com o magistrado do local por telefone. Os funcionários que o atenderam também foram alvos de grosserias, sendo chamados de “vagabundos” e "incompetentes".

t

Consta na certidão que o homem ligou no posto escola AJURIS, adjunto ao 5º JEC de Porto Alegre/RS, solicitando falar com o juiz daquela localidade. O estagiário que o atendeu informou que ele deveria ligar e falar com o secretário do magistrado para agendar um horário.

Mesmo falando posteriormente com a subchefe do local, o homem teria ficado muito irritado, chamando todos os funcionários de “vagabundos” e "incompetentes". O autor disse que funcionário público não faz nada e que o juiz se sente Deus, não trabalha, só fica em casa e não recebe ninguém no gabinete.

"Ele repetiu que queria falar com o Juiz, não falaria o assunto porque Juiz se sente Deus, achando que para chegar até Ele precisa passar por uma fila de funcionários incompetentes." 

Ao ser informado de que poderia comparecer ao local pessoalmente no horário em que o magistrado estivesse lá, o autor da ligação disse que tal possibilidade seria pior, porque ficaria "plantado" sem ser atendido. 

O homem é autor de uma ação de indenização por dano material. O processo foi extinto por ausência de pressupostos processuais.

informativo de hoje

patrocínio

Advertisement VIVO

últimas quentes