Segunda-feira, 20 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Projeto que regulamenta penhora on-line aguarda votação no Senado

terça-feira, 21 de novembro de 2006

Reforma

Projeto que regulamenta penhora on-line aguarda votação no Senado

O Senado deve votar em breve uma das mais importantes mudanças previstas na chamada Reforma Infraconstitucional de Processo Civil. Trata-se do projeto de lei número 51/2006 (clique aqui), que trata da mudança nas regras para a execução de títulos extrajudiciais, simplificando o processo de execução de títulos extrajudiciais como cheques, promissórias e contratos. A nova lei deve regulamentar a penhora on-line de contas correntes e o leilão do bem pela Internet a pedido do credor. O projeto passou pela CCJ do Senado no último dia 08/11. Se tiver aprovação do plenário irá à sanção presidencial.

A proposta ainda prevê que os recursos contra uma sentença de execução perderão o efeito suspensivo. Na prática isso significa que mesmo que haja recurso, a execução da dívida continua.

Outra mudança é o fim da chamada “mansão de família”, quando o credor pede a penhora de bens do devedor. Pela lei vigente, na cobrança da dívida, pode ser penhorado qualquer bem do devedor, menos o imóvel no qual reside a família do réu. Pela proposta, se o devedor não tiver como pagar, ele terá seus bens arrestados, sem necessidade de leilão. No entanto, será retirado apenas o valor suficiente para cobrir a dívida.

Especialistas no assunto consideram as propostas positivas. “O projeto dará maior celeridade ao processo, uma vez que altera alguns dispositivos para a recuperação de crédito, procedimento que hoje é muito lento e difícil”, avalia o advogado Sérgio Zahr, sócio do Albino Advogados Associados.

A mesma opinião tem o advogado Antonio Carlos de Oliveira Freitas, especialista em Direito Processual do escritório Luchesi Advogados. “O credor terá uma série de benefícios, as empresas ganharão mais agilidade na obtenção dos créditos com a desburocratização e modernização do processo de execução".

Freitas ressalta que este é um dos mais esperados projetos da reforma. “A proposta retira ou ao menos tenta retirar a visão paternalista que o Judiciário tem em relação ao devedor no país e suas práticas, muitas vezes, em evidente intuito de prolongar de forma interminável a efetiva prestação da tutela jurisdicional. É essencial para minimizar a pecha de insegurança jurídica que assola o Brasil, impondo restrições aos investidores estrangeiros e com alto impacto no risco Brasil. A tendência, ao menos no intuito do legislador, é diminuir os descumprimentos de contrato”, comenta.

Em tempo: haverá uma palestra do advogado Antonio Carlos de Oliveira Freitas sobre Penhora Online no próximo dia 28/11, terça-feira, às 19h, na AASP - Associação dos Advogados de São Paulo (R. Álvares Penteado, 151, Centro, Capital-SP). A palestra será um dos destaques do seminário "Aspectos Práticos da Efetivação da Tutela - Limites e Garantias", que será encerrado na quarta-feira (dia 29) com um debate sobre os temas do evento.

_________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes