Quarta-feira, 23 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Ministro Humberto Gomes de Barros integrará a Academia Brasiliense de Letras

x

segunda-feira, 4 de dezembro de 2006


Posse

Ministro Humberto Gomes de Barros integrará a Academia Brasiliense de Letras

No dia 5 de dezembro, o ministro Humberto Gomes de Barros, do STJ, toma posse na Academia Brasiliense de Letras.

O ministro foi eleito no dia 30 de junho deste ano, para ocupar a cadeira de número 8, antes pertencente a Oscar Dias Corrêa. A solenidade acontece no auditório da OAB, às 18h30.

Além de ser autor de muitos escritos jurídicos, o ministro é um grande apreciador da literatura e sempre publica crônicas e poesias. “Glossário Forense Canção das Alagoas”, uma coleção de poesias, e "Usina Santa Amália" são algumas de suas obras. O ministro Humberto Gomes de Barros é membro da Academia Alagoana de Letras desde 2003, na qual ocupa a cadeira de número 18, antes ocupada pelo acadêmico Aldo Rubens Flores.

Alagoano de Maceió, o ministro está em Brasília desde 1962. Começou advogando na nova capital e, em 1970, ajudou a fundar o Instituto dos Advogados do Distrito Federal. Foi procurador-geral do Distrito Federal por três anos (1985/1988). Entre 1986 e 1987, foi presidente do Colégio Nacional dos Procuradores-Gerais de Estado. Sua competência jurídica rivaliza com sua paixão pelo cordel, mas a convivência entre ambas parece ser pacífica, afinal ele é referência nas duas áreas: jurídica e cultural.

Amante das coisas e da gente do seu estado, em 2003 o ministro Gomes de Barros, ao chegar à Academia Alagoana de Letras, brincou bem-humorado: "já era vitalício; agora me torno imortal". É esse bom-humor a sua marca registrada. Nos intervalos das sessões de julgamento, é conhecido por escrever cordel. Mas é modesto em se descrever: "Sou um mero arrumador de palavras, quando muito um simples cordelista." Sua modéstia não parece encontrar eco nas demais pessoas, tanto que essa é a sua segunda indicação a imortal. Sua vocação literária, segundo ele mesmo, é oriunda da cultura que ele e os irmãos receberam dos pais.

Em casa, o pai o político Carlos Gomes de Barros ensinava três lições: não tirar dez em comportamento (pois menino bem comportado ou está doente ou é mau-caráter), não ser o primeiro da turma (porque quem se mete na disputa pelo primeiro lugar termina cansado e perde toda a imaginação) e não chegar em casa apanhado. Atualmente, o ministro Humberto Gomes de Barros integra a Terceira Turma, a Segunda Seção e a Corte Especial do STJ, tribunal que integra desde 1991 e no qual foi eleito o novo ministro diretor da Revista, cargo que assume em abril. Membro do Tribunal Superior Eleitoral, exerce o cargo de corregedor-geral eleitoral.

_______________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes