Quarta-feira, 21 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Conservador Nicolas Sarkozy é eleito presidente da França

segunda-feira, 7 de maio de 2007


França

Conservador Nicolas Sarkozy é eleito presidente

O candidato conservador, Nicolas Sarkozy, do partido UMP, venceu as eleições presidenciais francesas realizadas neste domingo. Segundo resultados do ministério francês do Interior (que não incluem os votos dos franceses fora do país), Sarkozy obteve 53,06% dos votos e sua rival, a candidata socialista Ségolène Royal, 46,94%, no segundo turno realizado neste domingo.

A taxa de participação, estimada entre 85% e 86%, segundo todos os institutos de pesquisa, foi uma das mais altas já registradas na França.

A ampla vantagem de Sarkozy sobre sua adversária, segundo analistas, conforta a legitimidade da vitória do candidato da direita, que obteve um dos melhores resultados registrados em eleições presidenciais no país, próximo ao de François Mitterrand em 1988.

O desempenho de Jacques Chirac nas últimas eleições, 82,2% não é realmente levado em conta para efeitos de comparação, porque seu adversário no segundo turno foi o líder da extrema-direita, Jean-Marie Le Pen, fato que motivou um grande mobilização nacional a favor de Chirac.

Sarkozy assumirá a Presidência da França no dia 16 de maio.

Direita moderna

Sarkozy, afirmam analistas, conseguiu virar uma página da vida política do país, representando o que os franceses chamam de "direita moderna, liberal e sem complexos", ou seja, sem o temor de assumir valores da direita, como a ordem, o mérito e a autoridade.

O presidente eleito afirmou em seu discurso que o povo francês "optou por mudanças". Ele prometeu realizá-las "em um espírito de união e de fraternidade, sem que ninguém tenha o sentimento de ser excluído". O novo presidente eleito afirmou respeitar sua rival socialista e suas idéias às quais tantos franceses se identificaram.

"Meu pensamento vai a todos os franceses que não votaram em mim. Digo-lhes que além do combate político e das divergências de opiniões, há para mim somente uma França", disse Sarkozy.

Considerado por seus opositores como alguém que poderia dividir a sociedade francesa, Sarkozy procurou em seu discurso ressaltar o sentimento e a necessidade de união nacional. Ele pediu a todos os franceses que se unam a ele, independentemente de seus partidos, origem ou credos religiosos, para que a França possa realizar as mudanças necessárias para aumentar seu dinamismo.

O presidente eleito também é considerado por seus críticos como tendo uma postura muito pró-americana. Em seu discurso nesta noite, Sarkozy disse que "uma grande nação como os Estados Unidos não pode criar obstáculos à luta contra o aquecimento global". E acrescentou que a "França fará do combate contra as mudanças climáticas seu primeiro combate".

Segolène Royal reconheceu sua derrota, mas afirmou que continuará seu combate político e também a renovação da esquerda francesa.

"Mantenham a confiança. Outros compromissos democráticos nos esperam e tenho certeza de que o trabalho iniciado dará frutos", afirmou a socialista se referindo às eleições legislativas em junho próximo.

O discurso de Royal, na Casa da América Latina, em Paris, durou cerca de cinco minutos.

__________
_____________
Fonte: BBC Brasil
___________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes