Sexta-feira, 19 de abril de 2019

ISSN 1983-392X

São Paulo firma parceria com produtores para reduzir queimadas de canaviais

X

terça-feira, 5 de junho de 2007


Cooperação

São Paulo firma parceria com produtores para reduzir queimadas de canaviais

O governador de São Paulo, José Serra, assinou na tarde de ontem um protocolo de cooperação com produtores paulistas de cana de açúcar com o objetivo de reduzir as queimadas nos canaviais de todo o Estado. O acordo foi formalizado durante o São Paulo Ethanol Summit 2007, evento promovido pela Unica -União das Indústrias de Cana de Açúcar que, neste ano, tem como tema as "Fronteiras do etanol – desafios da energia no século 21".

O Protocolo Agro-Ambiental visa adotar ações destinadas a consolidar o desenvolvimento sustentável da indústria da cana de açúcar e foi assinado pelo presidente da Unica, Eduardo Pereira de Carvalho, o secretário estadual do Meio Ambiente, Francisco Graziano, e o secretário estadual da Agricultura e abastecimento, João Sampaio Filho, além do governador José Serra.

O Estado de São Paulo tem hoje cerca de 4,2 milhões de hectares de cana de açúcar plantada. Foram colhidos no ano passado 3,4 Mha de cana, dos quais 900 mil hectares sem queimadas – os 2,5 Mha restantes foram queimados.

Cada hectare de cana queimado emite 300 quilos de material particulado, o que causa problemas respiratórios e sobrecarrega o sistema de saúde pública. No ano de 2006, os 2,5 Mha de cana queimados emitiram 750 mil toneladas de particulados. As emissões de poluentes tenderiam a crescer significativamente com a expansão da cultura da cana.

“Para que se tenha uma idéia quantitativa, sem o protocolo e dentro da legislação vigente, em 2014 ainda haveria 3,8 Mha sendo queimados, um aumento de 50% com relação a hoje. Com o protocolo, teríamos toda a área mecanizada sem queima. E, da área total, teríamos apenas 440 mil hectares e não 3,8 milhões de hectares”, disse o governador. “Ou seja, haverá uma diminuição de 8,5 vezes da área queimada”.

Mas este não foi o único cenário traçado pelos técnicos que desenvolveram o protocolo. Pela legislação atual, o fim das queimadas será em 2021. Pelo protocolo, será em 2014. O mesmo vale para as áreas não mecanizadas. Atualmente, o fim das queimadas está previsto para 2031 – e agora, com o novo protocolo, será reduzido para 2017.

São Paulo tem a maior área plantada de cana de açúcar do Brasil: os fazendeiros paulistas são responsáveis por 72,4% da produção nacional de etanol e líderes nas exportações brasileiras do setor com US$ 5,65 bilhões em vendas externas somente em 2006.

Veja quadro comparativo com os benefícios do termo assinado pelo Estado - clique aqui.

____________
_______________

  • Leia mais

27/7/2006 - SP proíbe por tempo indeterminado prática da queima da palha de cana-de-açúcar em todo o Estado. (clique aqui)

29/8/2006 - CETESB divulga comunicado sobre a liberação da queima de palha de cana de açúcar em todo o Estado de São Paulo. (clique aqui)

25/1/2007 - TJ/SP suspende a proibição da queimada de cana em Ribeirão Preto/SP. (clique aqui) - (clique aqui)

  • Documentário

Aguarde alguns instantes até abrir um quadro negro, e depois passe o mouse sobre ele para ver um inédito documentário de Migalhas sobre as queimadas da cana.

Caso não abra, ou queira assistir ao vídeo em outras definições, clique aqui.

__________________

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes