Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Senador classifica de "tapa na cara" do Exército a anistia concedida a Lamarca

sexta-feira, 15 de junho de 2007


Senado

Camata classifica de "tapa na cara" do Exército a anistia concedida a Lamarca

O senador Gerson Camata – PMDB/ES criticou, em Plenário, ontem, as decisões da Comissão de Anistia do Ministério da Justiça de conceder patente de coronel de Exército ao líder guerrilheiro Carlos Lamarca, bem como pensão de general e vultosas indenizações a sua família. O parlamentar considerou essas determinações como um "tapa na cara das Forças Armadas brasileiras".

Segundo Camata, a comissão precisa ter fiscalização e controle de algum órgão do Legislativo ou do Judiciário, uma vez que sua generosidade com o dinheiro público tem usado critérios que, em sua opinião, ferem o bom senso da sociedade brasileira.

"Depois de ter desertado do Exército, roubando armas para fundar uma organização guerrilheira com a finalidade de implantar uma ditadura exótica no país, ainda pior do que o regime militar da época, a decisão de recompensá-lo com todas as promoções e direitos fere os brios do Exército, pois os princípios de disciplina e hierarquia das Forças Armadas foram subvertidos. Trata-se de um fato muito grave", disse.

Para Gerson Camata, tomar essas decisões equivale a dizer aos oficiais lotados em quartéis isolados nas fronteiras que não precisam batalhar para coibir o contrabando de armas colocando suas vidas em perigo, porque depois, se o pior acontecer, eles serão anistiados e suas famílias indenizadas.

O senador pelo Espírito Santo disse que a Comissão de Anistia deveria ser submetida a um controle que pudesse vetar algumas de suas decisões. Outros órgãos do governo também precisam ter seus atos mais vigiados, disse. Ele criticou, por exemplo, o fato de o governo ter destinado recursos à Parada do Orgulho Gay, realizada em São Paulo no último fim de semana.

Camata revelou que decidiu integrar a Comissão de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização, não para fazer oposição ao governo, mas para impedir que o governo faça oposição ao Brasil, tomando decisões desse tipo.

Em aparte, o senador Mário Couto – PSDB/PA lembrou que faltam apenas R$ 4 milhões para que o Hospital Sarah Kubitschek de Belém comece a funcionar e o governo alega não dispor dessa verba. Ele perguntou por que há dinheiro público para Parada Gay ou para indenizar a família de um "desertor" e não existe verba para colocar em funcionamento um hospital de interesse público.

Também em aparte, o senador Eduardo Suplicy – PT/SP disse que o espírito de anistia das Forças Armadas garantirá que a decisão da comissão seja compreendida. Ele comparou a guerrilha de Lamarca com a guerra de independência feita nos Estados Unidos, no século XVIII.

Gerson Camata respondeu haver uma diferença muito grande entre lutar pelaindependência de seu país e querer implantar uma ditadura cruel no Brasil. "É preciso pedir desculpas a todos os oficiais das Forças Armadas brasileiras", concluiu.

________
___________

  • Leia mais

14/6/2007 - Família de Carlos Lamarca é indenizada pela Comissão de Anistia do MJ - clique aqui.

_________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes