Sábado, 24 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Desvio na saúde

Operação Vampiro da PF prende 14 pessoas

quinta-feira, 20 de maio de 2004

Desvio na saúde

Batizada de Operação Vampiro, uma ação realizada ontem pela PF levou à prisão de 14 suspeitos de envolvimento em uma megafraude no Ministério da Saúde. O esquema é acusado de desviar R$ 2 bilhões na compra de medicamentos para o tratamento de hemofilia. Entre os presos, está o coordenador-geral de logística Luiz Cláudio Gomes da Silva, um dos principais auxiliares do ministro da Saúde, Humberto Costa.

Na casa de Silva, em Recife, a PF apreendeu R$ 120 mil, US$ 20 mil e 7 mil euros. Além de Gomes da Silva, foram presos outros cinco funcionários do Ministério da Saúde. Três empresários - entre eles o vice-presidente do Jornal de Brasília, Lourenço Rommel Pontes Peixoto - estavam sendo procurados no início da noite de ontem.

A fraude, segundo o delegado Wagner Castilho, da superintendência da PF em São Paulo, ocorria da seguinte forma: os empresários tinham o monopólio das importações, combinavam o preço dos produtos com a anuência de funcionários do ministério e vendiam ao governo a mercadoria superfaturada.

As autoridades acreditam que o esquema vinha funcionando há pelo menos 13 anos. Em Genebra, o ministro da Saúde, Humberto Costa, interrompeu sua agenda para voltar ao Brasil, a pedido do presidente Lula. Responsável pela contratação de Gomes da Silva, o ministro se disse "profundamente surpreso e decepcionado" por saber que ele estava implicado no escândalo.

Pelos levantamentos do Ministério da Saúde, os prejuízos passam de R$ 170 milhões por ano.

_______________ ...

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes