Domingo, 19 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Senado aprova nova regulamentação para estágio estudantil

quarta-feira, 7 de novembro de 2007


PLS

Senado aprova nova regulamentação para estágio estudantil

Depois de muita polêmica, o Senado alcançou o consenso e aprovou, ontem, substitutivo a projeto de lei (PLS 473/03 - clique aqui) que regulamenta o estágio de estudantes de instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, de educação especial e da educação de jovens e adultos. A matéria segue, agora, à apreciação da Câmara dos Deputados.

O entendimento foi firmado pelos senadores de Santa Catarina Raimundo Colombo - DEM, relator da matéria na Comissão de Educação, e Ideli Salvatti - PT, relatora na Comissão de Assuntos Sociais, e resultou na rejeição ao projeto de lei da Câmara (PLC 44/07 - clique aqui), de iniciativa da Presidência da República, que tramitava em conjunto com o PLS 473/03, de autoria do senador Osmar Dias - PDT/PR.

De acordo com o substitutivo, que também incorporou emendas de Plenário, o estágio poderá ser ou não obrigatório, mas não cria vínculo empregatício. A instituição concedente do estágio deverá oferecer seguro contra acidentes pessoais ao estagiário, obrigado a apresentar relatórios semestrais dessa atividade. Além de órgãos públicos e empresas privadas, poderão contratar estagiários profissionais liberais de nível superior registrados no respectivo conselho profissional.

Em relação à jornada de estágio, será de quatro horas diárias e 20 horas semanais no caso de estudantes de educação especial e de educação de jovens e adultos. Para os estudantes do ensino superior, da educação profissional e do ensino médio, foi estipulada carga horária de seis horas diárias e 30 horas semanais. A duração máxima do estágio na mesma empresa será de dois anos (exceto para estagiário com deficiência) e, nos estágios com duração igual ou superior a um ano, é garantido recesso de 30 dias.

Durante a discussão do PLS 473/03, Osmar Dias agradeceu a Raimundo Colombo e a Ideli por terem reconhecido a precedência de seu projeto em relação ao do governo. Enquanto o relator na CE assinalou o mérito da proposta ao ampliar a proteção ao estagiário e dar mais segurança às agências intermediadoras do estágio e às empresas contratantes, Ideli disse esperar que o projeto seja sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva até o dia 7 de dezembro, quando a "obsoleta" lei de estágio em vigor completa 30 anos.

O senador José Agripino - DEM/RN também apoiou a iniciativa e comemorou a aprovação pela CE nesta terça-feira, em decisão terminativa, de projeto de sua autoria (PLS 177/02 - clique aqui) que cria uma Bolsa de Aperfeiçoamento Profissional no valor de R$ 200 mensais, a ser financiada com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador, para remunerar estágios em universidades e empresas. Agripino destacou o mérito de sua proposta ao apontar uma fonte de recursos para financiar bolsas de estágio.

A aprovação da nova regulamentação do estágio estudantil foi elogiada ainda pelos senadores Rosalba Ciarlini - DEM/RN, Cristovam Buarque - PDT/DF, Renato Casagrande - PSB/ES, Antonio Carlos Valadares - PSB/SE, Heráclito Fortes - DEM/PI, Mão Santa - PMDB/PI e Marcelo Crivella - PRB/RJ.

____________________

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes