Terça-feira, 21 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Estudante de direito mata a ex-namorada e se suicida

quinta-feira, 8 de novembro de 2007


Em MG
 

Estudante de direito mata a ex-namorada e se suicida

Um estudante de direito matou a ex-namorada com 13 tiros anteontem à noite e, em seguida, jogou-se do nono andar do prédio da faculdade onde estudava, em Belo Horizonte (MG). 

De acordo com a Polícia Civil, os dois romperam o namoro de sete anos havia uma semana. Roberto Márcio Marra, 24, foi à casa da estudante de psicologia Érica Alves Arantes, 21, por volta das 20h, para tentar reatar o relacionamento. Ele portava duas armas -uma pistola semi-automática calibre 22 e um revólver calibre 32. 

No apartamento em que Érica morava com a família, no bairro Ouro Preto, ela e o ex-namorado começaram a discutir trancados no quarto dela e trocaram agressões físicas.

Ainda segundo a polícia, a estudante tentou se proteger e trancou-se no banheiro, mas Roberto começou a disparar contra ela através da porta, que abriu. Érica foi atingida por 13 tiros, na cabeça, tórax e pernas.

O estudante, após os disparos, abriu a porta da suíte e fugiu. Familiares da jovem tentaram socorrer a estudante, que já estava morta. Na cena do crime a Polícia Militar localizou o revólver calibre 32.

Universidade

Após deixar o apartamento, Roberto foi para o Centro Universitário Newton Paiva, no bairro Caiçara, onde estudava. De lá, ligou para os familiares da ex-namorada para se desculpar pelo que fez e conversou com um policial militar. A PM afirmou que o estudante disse que estava decidido a se matar.

No nono andar do prédio, o estudante sentou em uma janela da biblioteca da faculdade e, transtornado, pediu a uma bibliotecária que tentava conversar com ele que se afastasse.

De acordo com a universidade, por meio da assessoria, ele disse à bibliotecária que não tinha mais motivos para viver e que havia acabado de matar a namorada. Em seguida, ele se atirou da janela, pouco antes do toque de intervalo das aulas no prédio, às 21h30. Ao lado do corpo, a PM encontrou a pistola e um celular.

O delegado Rodrigo Fraga, da delegacia de homicídios, disse que vai apurar onde o estudante conseguiu as armas.

Segurança

Ao comentar a morte de Roberto na faculdade, alguns estudantes exigiam mais segurança no interior do centro universitário em relatos deixados na comunidade "Direito - Newton Paiva", no site de relacionamentos Orkut.

Uma internauta, que se identificou como Fabiana, relatou que teve a "oportunidade de bater um longo papo" com o rapaz em um congresso na faculdade. "Ele era pessoa muito agradável e bem-humorada", disse Fabiana no site.

O Centro Universitário Newton Paiva lamentou a morte do estudante e informou que tem uma parceria com a PM para garantir o policiamento externo e interno e que vai estudar medidas para incrementar a segurança no local.

Roberto cursava a faculdade desde agosto deste ano e morava em Mangabeiras, bairro de classe média alta da capital mineira, com a família. A mensalidade da faculdade é de R$ 870.

O enterro de Roberto ocorreu ontem. Já Érica, que era aluna da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), deve ser enterrada hoje.

Velório

_______
___________

Fontes: Folha de S.Paulo / O Tempo / Hoje Em Dia
_____________________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes