Terça-feira, 26 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Greve dos rodoviários

Cerca de 10 mil motoristas e cobradores aderiram

segunda-feira, 7 de junho de 2004


Greve dos rodoviários

Cerca de 10 mil motoristas e cobradores de ônibus cruzaram os braços nesta segunda-feira no Distrito Federal. Segundo presidente do Sindicato dos Rodoviários, João Osório, 2.396 ônibus estão sem circular.

Em assembléia, na noite de ontem, cobradores e motoristas resolveram entrar em greve desde a zero hora desta segunda. Os 57 terminais de ônibus, espalhados por várias cidades, ficarão parcialmente paralisados por tempo indeterminado.

Os usuários que pegam a condução na rodoviária do Plano Piloto enfrentam transtornos. No entanto, vans, veículos de transporte clandestino, fretes e até carros de passeio se organizaram para suprir a falta de ônibus no DF.

De acordo com o presidente do sindicato, a categoria ainda não procurou os donos das empresas de ônibus para negociar o reajuste. Ele assume que o sindicato não está respeitando a decisão do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que exige a manutenção de 60% da frota funcionando. “Não estamos cumprindo. Estamos todos parados”, afirmou. Os rodoviários vão se reunir novamente às 17h na Praça do Relógio, em Taguatinga, para fazer um balanço do primeiro dia da paralisação.

Decisão judicial

Por decisão do TRT, os rodoviários teriam que manter 60% da frota de cada linha que percorre o DF em funcionamento. Caso contrário, o sindicato da categoria será multado diariamente em R$ 30 mil.

A decisão judicial foi resposta a uma ação dos empresários, ajuizada na última sexta-feira.

Desde abril, os rodoviários tentam negociar um novo acordo com os empresários do setor. Querem a garantia do pagamento de benefícios como cestas básicas e tíquetes refeição, além de um reajuste salarial de 30%.

_________....

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco

últimas quentes