Segunda-feira, 17 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

OAB interpela Tarso Genro e pede nomes de advogados que teriam vazado inquéritos

x

sábado, 5 de julho de 2008


Declarações

OAB interpela Tarso Genro e pede nomes de advogados que teriam vazado inquéritos

O presidente nacional da OAB, Cezar Britto, encaminhou ontem, 4/7, ao MJ Tarso Genro ofício interpelando-o sobre declarações de sua autoria, segundo as quais advogados estão "vazando" para a imprensa informações de inquéritos abertos pela Polícia Federal.

Ele observou que do modo como foram transmitidas à imprensa, as afirmações do ministro são "graves e genéricas" e deixam toda a advocacia sob suspeita.

Britto solicita formalmente a Tarso Genro a revelação dos nomes dos advogados e dos fatos que eles teriam vazado. "Não pode a advocacia brasileira, que tem enfrentado dificuldades no seu relacionamento com a Polícia Federal e o Judiciário, impedida de exercer prerrogativas elementares, como acesso aos autos, e sendo submetida a grampos ambientais em seus escritórios de trabalho, suportar denúncias graves e genéricas, que fragilizam injustamente toda a classe", protestou o presidente nacional da OAB.

  • A seguir, a íntegra do ofício enviado pelo presidente nacional da OAB ao ministro da Justiça :

"Excelentíssimo Sr. Ministro da Justiça

Em vista de declarações de Vossa Excelência ao jornal O Estado de S. Paulo (edição de 03 de julho de 2008), dando conta de que advogados estariam vazando informações de inquéritos, inclusive os que correm em segredo de Justiça, o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil sente-se no dever de solicitar formalmente a revelação dos fatos e os nomes neles envolvidos.

Mantê-los ocultos faz com que recaia sobre o conjunto da classe a suspeita de tais atos, que Vossa Excelência, ainda em declaração aos jornais, considerou "coisas de gângster" e "terrorismo lamentável".

Não pode a advocacia brasileira, que tem enfrentado dificuldades no seu relacionamento com a Polícia Federal e o Judiciário, impedida algumas vezes de exercer prerrogativas elementares, como acesso aos autos, e sendo submetida a grampos ambientais em seus escritórios de trabalho, suportar denúncias graves e genéricas, que fragilizam injustamente toda a classe.

Não temos dúvida de que Vossa Excelência, advogado e homem público - e, portanto, zeloso pelo fiel cumprimento da lei e dos seus ritos -, há de colaborar para o pleno esclarecimento dos fatos.

Nesses termos, aguardamos resposta com a presteza que a relevância dos fatos impõe. Atenciosamente,

CEZAR BRITTO
Presidente do Conselho Federal da OAB".

___________________

patrocínio

VIVO

últimas quentes