Sábado, 19 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Termina no STF primeiro dia da audiência pública que discute a antecipação de parto em caso de malformação cerebral

x

terça-feira, 26 de agosto de 2008


Audiência pública

Termina no STF primeiro dia da audiência pública que discute a antecipação de parto em caso de malformação cerebral

Por volta das 11h de hoje, 26/8, foi encerrado o primeiro dia da audiência pública em que especialistas e diversos segmentos da sociedade opinam sobre a possibilidade de mulheres grávidas de fetos com malformação cerebral, chamada de anencefalia, fazerem ou não a antecipação terapêutica do parto.

A audiência será retomada nesta quinta-feira, dia 28, às 9h, e termina no dia 4 de setembro, quando também ocorrerá pela manhã. Confira abaixo a lista de participantes nos dois últimos dias de debates.

Ao todo, falaram nesta manhã a favor e contra a antecipação do parto de anencéfalos representantes de cinco entidades religiosas : a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), a Igreja Universal do Reino de Deus, a Associação Pró-Vida e Pró-Família, o grupo Católicas pelo Direito de Decidir e a Associação Médico-Espírita do Brasil.

"Essa reflexão, ouvindo-se segmentos da sociedade, levará o STF a definir o real alcance de nossa Constituição Federal de 1988. Reputo [essa audiência pública] da maior importância para termos a segurança jurídica e um avanço no campo cultural", disse o ministro Marco Aurélio, que presidiu os trabalhos.

Ele é o relator da ADPF 54 (clique aqui) em que a CNTS - Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde pede que o STF permita que mulheres possam escolher interromper ou não o processo gestacional dos fetos com malformação cerebral.

Dignidade humana

A ação foi ajuizada em junho de 2004. De acordo com a CNTS, além de gerar risco para a mulher, carregar um feto "anômalo", que não sobreviverá depois do parto, ofende a dignidade humana da mãe, prevista no artigo 5º da Constituição Federal.

Em liminar de 1º de julho de 2004, o ministro Marco Aurélio determinou o sobrestamento de processos e de decisões judiciais sobre a matéria. Essa liminar foi confirmada pelo Plenário em abril de 2005.

Ainda em 2004, o então procurador-geral da República, Claudio Fonteles, pronunciou-se contra o pleito da CNTS, e muitas entidades e pessoas da sociedade somaram-se a correntes favoráveis e contrárias ao pleito. Diante disso, o ministro Marco Aurélio tomou a decisão de realizar a audiência pública para ouvir as diversas opiniões da sociedade e de especialistas sobre o assunto.

  • Confira as entidades que ainda participarão da audiência pública :

28 de agosto de 2008 (quinta-feira)

1. Conselho Federal de Medicina

Representante: Dr. Roberto Luiz D’Ávila

Currículo: Médico Cardiologista; Coordenador da Câmara sobre Terminalidade da Vida e Cuidados Paliativos; Conselheiro do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina e do Conselho Federal de Medicina; Ex-Presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina; 1º Vice-Presidente do Conselho Federal de Medicina; Membro do Grupo de Trabalho do Ministério da Saúde sobre Morte Súbita; Mestre em Neurociências e Comportamento; Professor Adjunto da UFSC; Coordenador da Câmara Técnica de Informática em Saúde; doutorando em Medicina/Bioética pela Universidade do Porto/Portugal.

2. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia

Representante: Prof. Dr. Jorge Andalaft Neto

Currículo: Prof. Titular de Obstetrícia e Ginecologia da Universidade de Santo Amaro. Mestre e Doutor em Obstetrícia pela Unifesp - Escola Paulista de Medicina. Membro da Comissão Nacional de Aborto Previsto em Lei da Febrasgo.

3. Sociedade Brasileira de Medicina Fetal

4. Sociedade Brasileira de Genética Clínica

5. Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência

Representante: Doutor Thomaz Rafael Gollop

6. Deputado Federal José Aristodemo Pinotti.

7. Deputado Federal Luiz Bassuma

Currículo: Presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Vida – Contra o Aborto

8. Professora Lenise Aparecida Martins Garcia

Currículo: Professora titular do Departamento de Biologia Molecular da Universidade de Brasília. Presidente do Movimento Nacional da Cidadania em Defesa da Vida – Brasil Sem Aborto.

4 de setembro de 2008 (terça-feira)

1. Instituto de Bioética, Direitos Humanos e Gênero – ANIS

Representante: Débora Diniz

Currículo: É antropóloga, doutora em Antropologia e pós-doutora em Bioética. Atualmente é professora da Universidade de Brasília e pesquisadora da organização não-governamental Anis – Instituto de Bioética Direitos Humanos e Gênero e compõe a diretoria da Associação Internacional de Bioética.

2. Associação de Desenvolvimento da Família – ADEF

3. Escola de Gente

Representante: Claudia Werneck

4. Rede Nacional Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.

Representante: Dra Lia Zanotta Machado

Currículo: Lia Zanotta Machado possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1967), mestrado em Sociologia pela Universidade de São Paulo (1979), doutorado em Ciências Humanas (Sociologia) pela Universidade de São Paulo (1980) e pós-doutorado na École des Hautes Études en Sciences Sociales (1993/1994). Atualmente é professora titular de Antropologia da Universidade de Brasília. Lia Zanotta integra o Conselho Diretor da Rede Feminista de Saúde Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos, tendo integrado a Comissão que elaborou o anteprojeto de lei sobre a Revisão da Legislação Punitiva e Restritiva ao Aborto no Brasil.

___________
________________

  • Leia mais - Notícias

Franca/SP - Justiça autoriza dona-de-casa a interromper gravidez no 7º mês. (Clique aqui)

TJ/RS autoriza pais e médicos a decidirem sobre interrupção de gravidez de feto anencéfalo. (Clique aqui)

Continuidade de gestação de feto anencefálico é "heroísmo" que não se pode exigir, diz magistrada. (Clique aqui)

Juíza da 2ª vara criminal da comarca de Goiânia concede autorização judicial para que uma mãe interrompa sua gestação por inviabilidade fetal. (Clique aqui)

  • Leia mais - Artigos

Anencefalia e um novo STF - Luís Roberto Barroso. (Clique aqui)

Breves considerações derredor da anencefalia perante o STF - Gustavo Adolfo Hasselmann. (Clique aqui)

O futuro na mão dos onze - Carlos Miguel Castex Aidar e Robertho Sebastião Peternelli Neto. (Clique aqui)

O julgamento do caso da antecipação de parto de feto anencefálico pelo Supremo Tribunal Federal - Alessandra Ferreira Martins. (Clique aqui)

Anencefalia à luz do Direito e da Moral - Armando Bergo Neto. (Clique aqui)

____________
_______________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes