Quarta-feira, 19 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Marcelo Ferreira, da Destaque Tecnologia Jurídica, é entrevistado pelo jornal A Comarca do Mundo Jurídico

Marcelo Ferreira, sócio da Destaque - Tecnologia Jurídica foi o entrevistado do Jornal A Comarca do Mundo Jurídico. Confira a matéria na íntegra.

quarta-feira, 18 de março de 2009


Soluções tecnológicas

Sócio da Destaque Tecnologia Jurídica é entrevistado pelo jornal A Comarca do Mundo Jurídico

Marcelo Ferreira, sócio da empresa Destaque - Tecnologia Jurídica, foi o entrevistado do jornal A Comarca do Mundo Jurídico.O entrevistado falou da empresa e do seu histórico pessoal e profissional.

  • Confira abaixo a entrevista na íntegra.

________________

ACMJ - Durante a entrevista falaremos muito sobre a empresa. Mas antes disso, gostaríamos de conhecer o Marcelo, seu histórico pessoal e profissional.

Marcelo Ferreira - Destaque Já fiz de tudo um pouco no mercado jurídico. Fui advogado, contador, perito judicial... Mas o que me trouxe real satisfação foi a oportunidade de desenvolver soluções tecnológicas para o mercado jurídico. Quanto ao lado pessoal, minha trajetória é marcada pela perseverança, que, aliás, sempre procurei aproveitar, também, no lado profissional.

ACMJ - Marcelo, a história da Destaque é um exemplo de empreendedorismo no segmento jurídico. Conte-nos como tudo começou.

Marcelo - Em 1999, percebi que o serviço de publicações tinha uma grande importância para o advogado, mas, ao mesmo tempo, se mostrava falho, levando a maioria dos profissionais a terem duas empresas para aumentar a segurança dos seus prazos e, muitas vezes, nem assim o processo se mostrava 100% seguro. Daí, resolvi abraçar a causa e investir em tecnologia para que o processo de leitura do jornal e o corte e colagem das publicações fossem informatizados. Foi assim que nasceu a Destaque.

ACMJ - Quais foram os desafios iniciais e como foram superados?

Marcelo - O primeiro desafio era convencer o operador do Direito de que o emprego da tecnologia tornava o processo seguro, o que possibilitaria dispensar a segunda empresa (espelho). Por conta disso, sempre iniciávamos a relação comercial com um grande período de cortesia. O segundo ponto era ainda mais ousado, pois diferentemente dos concorrentes, que forneciam suas publicações em papéis recortados do próprio Diário Oficial, nós o disponibilizávamos já através do site (clique aqui), no qual o cliente possuía senha de acesso e as publicações eram estampadas em imagem .tif, reproduzindo fielmente o tablóide oficial.

ACMJ - Então, a empresa tem acompanhado toda a transformação que vem ocorrendo no segmento de publicações jurídicas. Como foi esta transição?

Marcelo - Com a informatização das imprensas oficiais, os tablóides passaram a ser eletrônicos. Essa transição, por um lado, diminuiu ainda mais a interferência humana no processo produtivo, mas, por outro, demandou maiores investimentos em servidores, licenças de software e treinamento das equipes. As empresas que não estavam preparadas para este investimento, praticamente fecharam suas portas, pois não há como competir com a qualidade imposta pelo novo padrão.

ACMJ - A Destaque atende escritórios e empresas dos mais diversos tipos e tamanhos, porém existe um público que necessita mais deste tipo de serviço. Qual é o publico alvo do serviço de publicação da Destaque e quais são os principais clientes?

Marcelo - Os maiores consumidores de nossos produtos certamente são os escritórios e departamentos jurídicos ligados a grandes contenciosos. O controle de ações tomadas por esses clientes geralmente inicia-se através de uma publicação, daí a importância do nosso serviço. Quanto aos nossos clientes, temos orgulho de contar com alguns nomes importantes do cenário jurídico, tais como: Demarest e Almeida, Tozzini e Freire, Villemor Amaral, Dantas, Lee, Brock e Camargo, além de departamentos jurídicos como Bradesco, Ponto Frio, Schincariol, BNDES, Grendene, entre outros que fazem da Destaque o que ela é hoje.

ACMJ - Mesmo com muita tecnologia, a intervenção humana é necessária neste tipo de trabalho. Fale sobre a estrutura e equipe da Destaque.

Marcelo - Hoje contamos com um parque de informática que tem cerca de 200 estações de trabalho, sem contar nossa estrutura de servidores, na qual contamos com a Dell como parceira. Quanto à intervenção humana, temos uma visão de necessidade, entretanto, buscamos reduzi-la a escalas mínimas em nosso processo produtivo. Atualmente, envolvemos mais pessoas em nosso processo de qualidade, o que de fato nos tem rendido excelentes resultados.

ACMJ - Como empreendedor, você não se restringiu a um único produto e a Destaque hoje oferece diversas outras ferramentas tecnológicas para os advogados.

Marcelo - Temos duas vertentes ligadas a questão levantada. A primeira é de que a Destaque não pode parar no tempo e precisa cada vez mais estar renovando suas idéias e objetivos. A segunda vertente é de que o mercado está carente de soluções que se encaixem em sua necessidade. Por isso, nossa filosofia tem sido, justamente, a de se encaixar nas necessidades que encontramos, ao invés de tentar adaptá-las à nossa metodologia.

ACMJ - Como você vê a importância da utilização da tecnologia no ambiente jurídico de escritórios e empresas?

Marcelo - Fundamental. Atualmente, se existe anseio por organização, deve-se investir em tecnologia. Temos percebido que cada vez mais isso tem sido encarado como uma premissa no ACMJ mercado jurídico. Os escritórios e dj's têm se esforçado para se modernizar e a Destaque é um parceiro importante nesse tipo de empreitada.

ACMJ - Quanto à informatização do judiciário, quais são as suas considerações sobre a tecnologia disponível e sobre o que ainda está por vir?

Marcelo - Não só pra mim, como para vários empresários e executivos do mercado, isso ainda soa como uma incógnita. O que tenho certeza é que trata-se de uma questão fundamental e necessária, entretanto, não é possível saber exatamente quanto tempo será necessário para que se torne uma realidade.

ACMJ - Quais os Estados da federação mais avançados e os mais atrasados em termos de informatização do judiciário?

Marcelo - Certamente São Paulo e os Estados do Sul do país partiram na frente nesse quesito e ainda destoam dos demais. Aqui no Rio de Janeiro podemos destacar o TJ, que tem feito grandes investimentos e mostrado um serviço de vanguarda. As regiões Norte e Nordeste estão evoluindo e buscando uma tendência natural.

ACMJ - Muito se fala sobre a segurança das informações. Considerando que a Destaque, diariamente, trabalha com milhares de informações de milhares de clientes, quais as medidas adotadas para garantir a segurança dessas informações?

Marcelo - Investimento em tecnologia é a mola mestra para toda a nossa engrenagem e o resultado desse investimento é que oferecemos segurança a nossos clientes, pois neste segmento não podemos contar com paralisações ou qualquer outro tipo de dificuldade que impeça o acesso às informações.

ACMJ - O produto Dr. Correspondente é um dos diferenciais da empresa. Como funciona e como um escritório pode se cadastrar para trabalhar em parceria com a Destaque?

Marcelo - Consideramos o Dr. Correspondente inovador. Trata-se de uma rede de correspondentes credenciada pela Destaque, que observa critérios como estrutura e qualidade dos profissionais envolvidos. Como temos condições de demandar uma quantidade considerável de solicitações aos credenciados, automaticamente temos redução nos custos, sendo nosso cliente o principal beneficiado, pois, além de contar com uma cobertura nacional, ele tem a sua disposição profissionais capacitados e testados pela Destaque. Qualquer escritório pode utilizar o serviço e também poderá se tornar um credenciado, desde que cumpra as exigências de qualidade estipuladas. As solicitações são feitas pelo site da Destaque e cumpridas em até 48 horas. Os retornos são através de e-mail e o solicitante tem acesso aos colaboradores Destaque (todos advogados), que trabalham na operacionalização do Dr. Correspondente.

ACMJ - Quais os próximos projetos da Destaque?

Marcelo - Em 2009, pretendemos trazer ao mercado um produto inovador, chamado prazo. Será um escritório de advocacia totalmente web, em que o assinante pagará por processo cadastrado dentro deste sistema, que proverá ao advogado todos os serviços indispensáveis a advocacia, restando ao mesmo a parte intelectual (escrever suas peças processuais) e comercial (busca de novos mercados e clientes). Esse ano, lançamos nosso gerenciador jurídico e o GED (Gerenciador Eletrônico de Documentos), que chamamos de Seven. Buscamos reunir nessa plataforma toda a experiência adquirida nos anos que tivemos oportunidade de interagir com nossos clientes, propondo com o Seven uma solução prática e funcional através da web.

ACMJ - Costumamos solicitar ao nosso entrevistado que deixe uma mensagem para os advogados recém-formados. Mas, no seu caso, vamos pedir que deixe uma mensagem para todas aqueles profissionais que agem nas áreas de back office jurídico, atuando diretamente com publicações, controles de prazo, logística jurídica, etc.

Marcelo - O que muito me preocupa neste segmento é que percebemos que alguns escritórios contratam o serviço de publicações tendo como critério apenas o preço ofertado e, por ser tal serviço indispensável ao controle dos processos, acredito que tais contratações deveriam ser mais criteriosas, levando em consideração a estrutura da empresa, o nível de segurança das informações, o horário que as publicações ficam disponíveis, o tempo de backup que a empresa contratada assegura ao contratante em caso de pane, dentre outros requisitos que podem gerar perda de prazo para o contratante.

________________

________________

informativo de hoje

patrocínio

VIVO

últimas quentes