Quinta-feira, 25 de abril de 2019

ISSN 1983-392X

Anvisa amplia controle sanitário em vôos vindos do exterior

Ontem, 28/4, o Gabinete Permanente de Emergência decidiu ampliar o monitoramento dos vôos provenientes de áreas afetadas por casos de influenza suína em humanos, de acordo com classificação da OMS. Agora, além de México, EUA e Canadá, a Anvisa irá monitorar a vigilância de casos suspeitos em viajantes de vôos provenientes da Espanha, Reino Unido e Nova Zelândia.

quarta-feira, 29 de abril de 2009


Influenza suína

Nota à imprensa: Anvisa amplia controle sanitário em vôos vindos do exterior

Ontem, 28/4, o Gabinete Permanente de Emergência decidiu ampliar o monitoramento dos vôos provenientes de áreas afetadas por casos de influenza suína em humanos, de acordo com classificação da OMS. Agora, além de México, EUA e Canadá, a Anvisa irá monitorar a vigilância de casos suspeitos em viajantes de vôos provenientes da Espanha, Reino Unido e Nova Zelândia.

Em reunião realizada ontem, 28/4, em SP, entre a Anvisa, Anac, Infraero, representantes de companhias aéreas, Receita Federal, PF e consulados do México e EUA ficou acordado que:

  • resíduos sólidos provenientes de aeronaves procedentes desses países serão classificados como resíduos do tipo A, ou seja, potencialmente infectantes. O descarte desses resíduos passará por procedimentos de inativação microbiológica antes da destinação final. Em procedimento normal, os dejetos vão para aterros sanitários; e
  • o Gabinete Permanente de Emergência define, hoje, 29/4, a obrigatoriedade da veiculação dos informes sonoros a bordo de todas as aeronaves vindas de áreas afetadas. A determinação será oficializada por meio do Comando da Aeronáutica e Anac.

Se acionada, Infraero estará pronta para enfrentar pandemia de gripe

A Infraero, como parte integrante do GEI - criado desde 2006 por ocasião da ocorrência de uma possível pandemia de gripe aviária - e órgão de apoio às ações da Anvisa, está pronta para colocar em prática, quando acionada pelas autoridades sanitárias e de saúde do Governo Federal, os Planos Específicos de Contingência à Influenza em dez aeroportos - definidos pelo GEI. Os aeroportos são os de Brasília, Campinas, Fortaleza, Galeão, Guarulhos, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife e Salvador.

Outros aeroportos internacionais também estão preparados, caso haja ocorrência de passageiros com suspeita, a ser comunicada pela Anvisa.

Os Planos de Contingência prevêem, entre outras ações, que os Postos de Primeiros Socorros - PPS dos aeroportos, assim que acionados pela Anvisa, estejam aptos a:

1. Acompanhar os níveis de alerta pandêmicos no Brasil, definidos pela OMS;

2. Atender no posto aos casos suspeitos;

3. Fazer uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) no atendimento nos casos suspeitos;

4. Avaliar os sintomas sob suspeitas;

5. Transportar o passageiro suspeito para centros de referência.

A Infraero determinou a todos os 32 aeroportos internacionais, sob sua administração, que divulguem aviso sonoro com a mensagem da Anvisa, alertando aos passageiros que se encontrarem com os sintomas da influenza a procurar imediatamente um posto da Agência nos aeroportos.

A Infraero, como empresa que administra 67 aeroportos, coloca toda infra-estrutura aeroportuária à disposição das autoridades brasileiras para a realização das ações em relação à gripe suína.Todas as ações estão sendo coordenadas pelo Ministério da Saúde/Anvisa.

______________

patrocínio

Bradesco VIVO
Advertisement

últimas quentes