Quarta-feira, 23 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

TJ/DF - BRA vai indenizar passageiros por atraso em voo durante apagão aéreo

A Justiça do DF continua obrigando as empresas aéreas a se responsabilizarem pelos prejuízos causados aos passageiros devido a atrasos de voos. Desta vez a BRA - Transportes Aéreos Ltda foi condenada pela Sétima Vara Cível de Brasília a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 3 mil para dois consumidores. Eles acusam a empresa de descaso e omissão.

sexta-feira, 22 de maio de 2009


Indenização aérea

TJ/DF - BRA vai indenizar passageiros por atraso em voo durante apagão aéreo

Mais uma decisão condena empresa aérea por atraso em voo. Desta vez a BRA - Transportes Aéreos Ltda foi condenada pela 7ª vara Cível de Brasília a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 3 mil para dois consumidores. A empresa foi acusada de descaso e omissão.

O caso aconteceu em 2006, durante a crise dos controladores de voos, momento que ficou conhecido como "apagão aéreo". Os autores do processo compraram passagem para o trecho Goiânia/Brasília, com partida às 18h50, mas só conseguiram embarcar 22h45. Eles contam que, no momento do check-in, a empresa aérea avisou que o voo sofreria atraso por tempo indeterminado. Mesmo assim, afirmam que nenhuma assistência foi prestada aos passageiros, obrigados a aguardar em uma sala pequena, sem assentos suficientes para acomodar todos.

Em sua defesa, a BRA refuta a alegação de negligência e afirma que o atraso foi causado pela demora da torre de controle do aeroporto de Goiânia em autorizar a decolagem. Eles acusam os autores do processo de aumentarem, em uma hora, o tempo de espera e pedem que sejam condenados por "litigância de má-fé".

Ao decidir a questão, a juíza aplicou o CDC, que obriga o fornecedor de produtos e serviços a responder por danos causados aos consumidores. Para ela, a alegação de "crise aérea" não exime a responsabilidade da empresa, especialmente porque a própria BRA confessou que já sabia sobre o atraso no dia anterior ao voo. "A eventual culpa concorrente de terceiros não isentaria a ré do dever de cuidar dos interesses e da preservação dos direitos de seus passageiros", pondera a magistrada.

Para a juíza, a discussão sobre o tempo do atraso não modifica a situação da empresa. "É fato incontroverso nos autos o atraso do voo BR-1070, controvertendo-se as partes apenas quanto ao horário de decolagem: se às 22h45, conforme afirmado pelos autores, ou se às 21h40, conforme aduzido pela ré, sendo certo que se trata de voo que estava marcado para 18h50", encerra a questão.

A BRA ainda pode recorrer da decisão para a 2ª Instância do Tribunal.

_________
_____________

Leia mais

  • 21/5/09 - TJ/RJ - Gol é condenada por atrasar voo de fã dos Rebeldes - clique aqui.
  • 19/5/09 - TJ/MG - Empresa aérea indeniza por atraso - clique aqui.
  • 13/5/09 - STJ - Companhia aérea vai pagar indenização por acomodar passageiro em cabine de piloto - clique aqui.
  • 29/3/09 -TJ/DF - Empresa aérea é condenada por alterar data de viagem sem avisar passageiro - clique aqui.
  • 18/2/2008 - TRF da 4ª região - Empresas aéreas devem fornecer atestados de atraso de voos - clique aqui.
  • 5/12/2007 - Ministério da Defesa cria indenização para passageiro de voo com atraso e Anac aumentará tarifa para avião atrasado em Congonhas - clique aqui.
  • 24/8/2007 - Condenações Aéreas (parte III) - clique aqui.
  • 1/8/2007 - Condenações Aéreas (parte II) - clique aqui.

______________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes