Sexta-feira, 22 de março de 2019

ISSN 1983-392X

Mensagem Corporativa de Natal

Enviada pelo advogado Mário Gonçalves Júnior

quarta-feira, 15 de dezembro de 2004

É Natal

Leia abaixo uma "Mensagem Corporativa de Natal", gentilmente enviada pelo ilustre advogado Mário Gonçalves Júnior, do escritório Demarest e Almeida Advogados, a todos os migalheiros. Confira.

_____________

Mensagem Corporativa de Natal

Não há ironia maior do que o destino de Jesus. Foi vítima do ódio e da intolerância por pregar o amor incondicional.

O Natal, assim, é mais que o aniversário da Suprema Bondade, é dia de tolerância consigo, com os outros, e, principalmente, com o destino. Se o Maior passou por tamanha ironia, qual de nós estará isento disto?

É dia de comemorar a dádiva de ter vivido mais um ano na ironia da vida, comprometendo-se de boa vontade para mais um ano de congregação, porque só há uma família, em última análise: a humanidade. No Natal, ocupe-se de lembrar que a sua família maior não é formada, quer você queira ou não, somente dos consangüíneos e afins: é a empresa onde você trabalha, o seu bairro, a sua cidade, o seu País, o seu continente, a sua galáxia. Por mais que em todos os microcosmos a ironia se repita de formas diferentes.

É dia de refletir que em cada núcleo, maior ou menor, há pessoas que, como você, vivem aflições e dificuldades, iguais ou diferentes das suas, mas tão angustiantes quanto. E apesar de tanta ironia, a vida segue, porque nenhuma ironia consegue ser eterna, mas a vida sim.

Se fosse para amar apenas os avós, pais, filhos e netos, seria muito simples. A vida te convida a muito mais. E esse convite é inevitável, percebe?

Essa é a razão irrevogável de tolerar e compreender: ao seu lado senta-se, com ou sem a sua permissão, alguém que suporta as ironias da própria vida. Então o melhor que você pode fazer é esforçar-se para, no próximo ano, não ser mais uma dessas ironias da vida do seu vizinho. É difícil? É. Algumas ironias são de sutileza tal que não percebemos. Sem notar as ironias alheias, podemos personificar uma ironia.

Jesus, pensando bem, não foi vítima da ironia, pois fez uso inteligente de uma delas para imortalizar a mensagem certa.

Façamos assim de nossas ironias. O Natal tem o poder de nos mostrar e convencer disto. Perdoe, repense. Nunca é tarde. Os meses e os anos não retiram a valia de corrigir erros. As ironias não surgem sem avisar? E não é por isso que fazem sofrer? Então use a surpresa a seu favor. Ame sem "motivo". Isto também pode ser irônico, pode ser mais uma (excelente) ironia da vida!

"Um idoso fez 98 anos

Ganhou na loteria

E morreu no dia seguinte.

É uma mosca preta

Em seu Chardonnay.

É o perdão no corredor da morte

Com dois minutos de atraso.

Não é irônico?

Você não acha?

É como chover

No dia do seu casamento.

É uma corrida de graça

Quando você já pagou.

É o conselho

Que você não seguiu.

Quem teria imaginado?

Quem diria?

A pessoa segura

Tinha medo de voar

Fez a mala

E despediu-se dos filhos

Esperou a vida toda

Para pegar esse vôo

E quando o avião caiu, pensou:

Isso não é ótimo?

E não é irônico?

Você não acha?

A vida tem um jeito engraçado

De fugir de você

Quando pensa que tudo está bem

E tudo está indo direito.

E a vida tem um jeito engraçado

De ajudar você

Quando pensa que tudo deu errado

E tudo explodiu na sua cara...

É o trânsito quando você

Já está atrasado.

É uma placa de proibido fumar

Na pausa para o cigarro.

São dez mil colheres

Quando só precisa de uma faca.

É conhecer o homem

Dos seus sonhos

E aí conhecer

A mulher linda dele.

E não é irônico?

Você não acha?

Um pouco irônico demais

Eu acho sim" (Ironic, Alanis Morissete).

___________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco

últimas quentes