Segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Em São Paulo, presidente do CNJ abre Semana Nacional de Conciliação

O presidente do CNJ, ministro Gilmar Mendes, estará em São Paulo, na segunda-feira, 14/9, para a abertura da Semana Nacional de Conciliação de processos referentes à Meta 2. O evento, previsto para às 10h, no Fórum trabalhista Ruy Barbosa, terá a participação do conselheiro Felipe Locke Cavalcanti, coordenador dos trabalhos da conciliação no Estado. “São Paulo tem mostrado o engajamento da Justiça como um todo e a preocupação com a celeridade processual.

domingo, 13 de setembro de 2009


Meta 2

Em São Paulo, presidente do CNJ abre Semana Nacional de Conciliação

O presidente do CNJ, ministro Gilmar Mendes, estará em São Paulo amanhã, 14/9, para a abertura da Semana Nacional de Conciliação de processos referentes à Meta 2. O evento, previsto para às 10h, no Fórum trabalhista Ruy Barbosa, terá a participação do conselheiro Felipe Locke Cavalcanti, coordenador dos trabalhos da conciliação no Estado. "São Paulo tem mostrado o engajamento da Justiça como um todo e a preocupação com a celeridade processual. Nesta Semana, buscará, por meio da conciliação, resolver os casos mais antigos", afirmou o conselheiro.

Durante a Semana, que se estenderá até o dia 19, as justiças estadual, federal, e trabalhista farão audiências para solucionar conflitos relacionados a processos distribuídos até 31 de dezembro de 2005, que é a Meta 2, uma das dez metas para o Judiciário brasileiro alcançar este ano. O conjunto de metas foi traçado pelas lideranças dos tribunais de todo o país no 2º Encontro Nacional do Judiciário realizado em fevereiro. O lançamento da Semana em São Paulo representa os estados da região Sudeste. Na segunda-feira, haverá também aberturas oficiais da Semana em capitais das demais quatro regiões do país: Curitiba (região Sul); Rio Branco (região Norte), Cuiabá (região Centro-Oeste), e em Recife e Maceió (região Nordeste).

Em São Paulo, o TRF da 3ª região já julgou 50.505 processos da Meta 2. Para a Semana Nacional de Conciliação, o TRF levará processos que envolvem o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), a Previdência Social e também como aqueles no Juizado Especial Federal, em que o valor da causa não ultrapassa 60 salários mínimos. "Fazer conciliação na Justiça Federal é mais complicado, pois envolve o Poder Público. Mesmo assim, a expectativa de acordos para a Semana é de 45% a 50% para as ações previdenciárias, entre 60% e 70% para os conflitos que envolvam o SFH, e de que chegue a 70% nos casos de competência dos Juizados Especiais", estima a presidente do TRF da 3ª Região, desembargadora federal Marli Ferreira.

Já no TJ/SP, calcula-se que sejam realizadas 1.200 audiências no 1º grau e cerca de 300, no 2º grau. Para isso, a comissão gestora da campanha pela Meta 2 promoveu uma mobilização para que algumas grandes empresas indicassem os processos com maiores chances de conciliação dentro dos critérios estabelecidos pelo Tribunal. "Estamos engajados nessa campanha e acredito que 50% dos processos da Meta 2 passíveis de conciliação cheguem a um acordo", ressaltou o desembargador Samuel Alves, presidente da comissão.

A Justiça trabalhista também está empenhada no cumprimento da Meta 2. O TRT da 2ª região espera atingir um índice conciliatório de 35%. "Foram agendadas para esta semana cerca de 2.300 audiências de conciliação envolvendo processos da Meta 2, o que representa 70% do acervo atual de pendências em 1º e 2º graus", informou o presidente do TRT da 2ª região, desembargador Decio Sebastião Daidone. Hoje o Tribunal conta com 3.944 processos da Meta 2 pendentes de julgamento.

Quanto ao TRT da 15ª região, com sede em Campinas, apenas 25 processos no 2º grau aguardam julgamento e aproximadamente 4.400, no 1º grau. Destes, 2.500 foram incluídos na pauta da Semana da Conciliação. "Sabemos que as conciliações de processos antigos, como é o caso dos processos que estão inseridos na Meta 2, não são tão fáceis de resolução, mas a nossa previsão para a semana é muito positiva. Se atingirmos 30% de acordos, será um percentual muito significativo", concluiu o presidente do TRT da 15ª região, desembargador Luís Carlos Cândido Martins Sotero da Silva.

_______________________

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes