Quarta-feira, 26 de junho de 2019

ISSN 1983-392X

Resultado do sorteio da obra "A Força dos Jornais – Os 30 anos da Associação Nacional de Jornais no Processo de Democratização Brasileiro"

quinta-feira, 24 de setembro de 2009


Sorteio de obra

Migalhas tem a honra de sortear a obra "A Força dos Jornais – Os 30 anos da Associação Nacional de Jornais no Processo de Democratização Brasileiro" (151p.), de autoria da presidente da ANJ, Judith Brito, e do jornalista Ricardo Pedreira. O livro é o retrato da participação dos jornais brasileiros no recente processo de redemocratização do país. Quatro exemplares foram gentilmente doados pela autora e diretora-superintendente do Grupo Folha, Judith Brito.

Sobre a obra :

"Se tivesse que resumir a missão da Associação Nacional de Jornais em duas palavras, usaria essas, sem hesitar: liberdade e responsabilidade.

Ao eleger como prioridade a defesa da liberdade de expressão, do pensamento e da propaganda, nossa entidade colocou o interesse das sociedades democráticas acima de eventuais causas corporativas. Ao defender o funcionamento sem restrições da imprensa, observados os princípios de responsabilidade, a ANJ assumiu um compromisso inarredável com o aperfeiçoamento da atividade de informar.

E nestes 30 anos de existência posso atestar, na condição de ex-presidente e sócio honorário da associação: a ANJ deu contribuições significativas para a melhoria qualitativa e ética da imprensa brasileira. A história da entidade registra sua luta incansável pela liberdade e pela independência dos jornais, evidenciada exatamente nos períodos de maior constrangimento para a democracia. A ANI esteve sempre na linha de frente de todas as lutas pela recuperação dos direitos individuais e coletivos dos brasileiros.

Com a democracia consolidada, essa vigilância não afrouxou e nem pode afrouxar, pois todos sabemos que a censura usa incontáveis disfarces. Não é incomum que ressurja travesti- da de pressões políticas e econômicas, ou mesmo no formato de leis de inspiração autoritária, sempre com o pretexto de controlar eventuais abusos. Daí a importância da responsabilidade e da autorregulamentação. O Código de Ética da ANJ é uma resposta a essas demandas e também um modelo para os nossos associados. É confortador constatar que boa parte dos jornais vem desenvolvendo e aperfeiçoando suas próprias normas de conduta, voltadas para a preservação dos interesses da sociedade.

Referência na profissionalização e na modernização dos jornais, a ANJ enfrenta agora, na virada dos seus 30 anos, o desafio de liderar seus associados na travessia para o mundo novo da tecnologia digital. A sociedade contemporânea passa por transformações importantes, que impactam fortemente a indústria da mídia. Nesse ambiente, os jornais têm sido desafiados cotidianamente a redimensionar o seu papel. Ainda que não tenhamos clareza sobre o que virá, uma certeza podemos ter: escreveremos o nosso futuro nas páginas da liberdade e da responsabilidade. Como a ANJ." Jayme Sirotsky, ex-presidente e sócio honorário da ANJ.

Sobre os autores :

Judith Brito é diretora-superintendente do Grupo Folha e presidente da ANJ. Formada em Administração Pública pela FGV/SP. Mestre em Ciência Política pela PUC/SP.

Ricardo Pedreira é diretor-executivo da ANJ. Jornalista formado pela UFRJ, trabalhou no Jornal do Brasil, na revista Veja e na TV Globo.

_______________

Ganhadores :

Welder Queiroz dos Santos, professor da Rede de Ensino Luiz Flávio Gomes, de São Paulo/SP;

Sandra Carvalho Cruz, de Taboão da Serra/SP;

Debora Alice Sturm, de Curitiba/PR; e

Amanda Rocha Nedel, estagiária da Tupy S.A., de Joinville/SC.



____________

informativo de hoje

patrocínio

VIVO

últimas quentes