Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

TJ/AC - "Crime da motosserra": Hildebrando Pascoal fez a própria defesa durante seis horas

O julgamento do ex-deputado Hildebrando Pascoal, que já está em seu segundo dia, foi suspenso por volta das 18h50 de ontem, 22/9, em Rio Branco/AC, pelo juiz Leandro Gross.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009


'Crime da Motosserra'

TJ/AC - Hildebrando Pascoal fez a própria defesa durante seis horas

O julgamento do ex-deputado Hildebrando Pascoal, que já está em seu segundo dia, foi suspenso por volta das 18h50 de ontem, 22/9, em Rio Branco/AC, pelo juiz Leandro Gross.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal acreano, todos os interrogatórios foram concluídos. Às 9h de hoje, 23/9, o tribunal do júri será retomado com a realização do debate entre defesa e acusação.

Na segunda-feira, 21/9, quinze testemunhas prestaram depoimento. Ainda de acordo com o TJ, o ex-deputado pediu ao juiz para fazer sua própria defesa. Ele falou por mais de quatro horas, até que o júri foi suspenso.

Ontem, a sessão foi retomada e por mais duas horas o acusado realizou sua defesa, tentando convencer os jurados da sua inocência. Hildebrando Pascoal afirmou que não conhecia "Baiano", e disse ser vítima de uma armação.

Após essa fase, estava prevista a realização de uma acareação, a pedido da defesa, entre as testemunhas José Alves da Costa, o "Zé Eloy", Bosco Fuad Ayache, Ronaldo Romero e Raimundo Sampaio, o "Raimundinho".

Os trabalhos iniciarão amanhã com a realização da fase de debates entre a acusação e a defesa. O Juiz avaliou que o reinício dos trabalhos pela manhã garantirá que os debates orais não sofram longas interrupções, algo que poderia acarretar prejuízos para a compreensão da linha de raciocínio das partes.

Em agosto deste ano (Diário da Justiça Eletrônico de 25.08.2009, fls. 27 e 28) o Juiz que preside o Conselho de Sentença responsável pelo julgamento do caso concedeu tempo para a defesa individual oral dos acusados.

Contra a decisão do magistrado, o Ministério Público Estadual chegou a impetrar mandado de segurança com pedido de liminar, o que indeferido pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça, a partir de despacho do Desembargador Feliciano Vasconcelos, Membro-Presidente da Câmara.

Desse modo, cada um dos três advogados de defesa terá direito a 1h30min para se pronunciar, totalizando 6h. Ao Ministério Público, que formulará a acusação, o magistrado concedeu tempo igual. Em caso de réplica e tréplica, ficou definido o prazo individual de uma hora.

Assim, a sessão de julgamento que reinicia suas atividades às 8h desta quarta (23) está prevista para terminar na madrugada de quinta-feira (24).

  • Confira abaixo fotos do julgamento.

____________

____________

informativo de hoje

patrocínio

Bradesco Advertisement VIVO

últimas quentes