Sábado, 21 de setembro de 2019

ISSN 1983-392X

JT adota novo sistema de numeração de processos

A partir de 1º de janeiro de 2010 os processos da Justiça do Trabalho tramitarão com um novo sistema de numeração, nos termos da Resolução nº 65, de 16 de dezembro de 2008, do CNJ, que determina a uniformização do número de processos nos órgãos do Poder Judiciário.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009


Uniformização

JT adota novo sistema de numeração de processos

A partir de 1º de janeiro de 2010 os processos da Justiça do Trabalho tramitarão com um novo sistema de numeração, nos termos da Resolução 65, de 16 de dezembro de 2008, do CNJ, que determina a uniformização do número de processos nos órgãos do Poder Judiciário.

De acordo com o CNJ, a medida visa otimizar a administração da Justiça e facilitar o acesso do jurisdicionado às informações processuais, pois consultando o processo por um único número será possível localizá-lo em qualquer órgão.

Os processos com o ano de autuação anterior a 2010 serão convertidos, em 1º/1/2010, automaticamente, para a numeração única definida pelo CNJ, mas a consulta processual poderá ser realizada nos dois formatos, permitindo ao usuário a pesquisa nas duas numerações.

A nova numeração terá a seguinte estrutura : NNNNNNN-DD.AAAA.J.TR.OOOO, composta de 6 (seis) campos obrigatórios, assim distribuídos:

O Ato Conjunto CNJ.TST 20/2009, publicado no DEJT de 27/11, regulamentou a matéria no âmbito da JT. Assim, em no dia 1/1/2010, com a adoção do novo padrão definido pelo CNJ, ocorrerão as seguintes alterações :

a) o ano do processo AAAA ocupará o terceiro campo, após o dígito verificador DD ;

b) a numeração será reiniciada a cada ano ;

c) supressão do sequencial ;

d) atribuição de numeração própria e independente aos recursos e incidentes processuais autuados em apartado ;

e) criação do campo "J" que identifica o ramo da Justiça ;

Os processos com o ano de autuação anterior a 2010 serão convertidos, em 1º/01/2010, automaticamente, para a numeração única definida pelo CNJ, com as seguintes adaptações :

a) os números permanecerão os mesmos, porém com a migração do seqüencial hoje existente para os dois últimos dígitos do número do processo (NNNNNSS) ;

b) aos processos originários do TST, serão acrescentados dois zeros. Aos processos que tramitam com 6 dígitos será acrescentado apenas um zero ;

c) os processos arquivados, baixados ou que se encontrarem no STF terão a numeração convertida, automaticamente, de acordo com essa regra.

d) a tramitação do processo no TST será realizada exclusivamente na numeração única. Os processos que tiverem sua numeração convertida serão identificados pelo leitor óptico no código de barras ;

e) nas matérias divulgadas no DEJT constarão, automaticamente, as duas numerações.

f) a consulta processual poderá ser realizada nos dois formatos, permitindo ao usuário a pesquisa nas duas numerações.

_____________

patrocínio

Bradesco VIVO

últimas quentes