Quarta-feira, 23 de outubro de 2019

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

por José Maria da Costa

Sanar ou Sanear?

quarta-feira, 23 de outubro de 2019

dúvida do leitor

A leitora Vanda F. M. Tourinho envia a seguinte mensagem ao Gramatigalhas:

"Professor, o correto é 'sanar as falhas apontadas' ou 'sanear as falhas apontadas'?"

envie sua dúvida

1) Uma leitora indaga qual a forma correta de expressão: sanar as falhas apontadas ou sanear as falhas apontadas?

2) Em realidade, existem em português ambos os verbos, sanar e sanear, o primeiro, nascido ainda no latim, do verbo sanare, e o segundo já formado em português, do radical san mais o sufixo ear (originariamente iar).

3) Uma consulta aos nossos mais conhecidos dicionaristas da atualidade – Aurélio Buarque de Holanda Ferreira e Antônio Houaiss – revela que, de um modo geral, têm ambos um núcleo semântico comum; a) para sanar, conferem a acepção de curar, sarar, tornar são, reparar, obstar e desfazer; b) para sanear, os significados conferidos são curar, sarar, tornar são, reparar, coibir, remediar e limpar.

4) Para sanar, mencionam tais dicionaristas as seguintes expressões: a) sanar um enfermo; b) sanar uma injustiça; c) sanar um mal; d) sanar um desequilíbrio fiscal; e) sanar um problema de desenvolvimento.

5) Já para sanear, conferem eles os seguintes exemplos: a) sanear os pântanos; b) sanear as valas negras; c) sanear a população atingida pela epidemia; d) sanear uma injustiça; e) sanear a corrupção; f) sanear as finanças públicas; g) sanear os erros da administração anterior.

6) Da própria comparação entre os exemplos dados, vê-se, num primeiro aspecto, que uma mesma acepção foi conferida, em um dos casos, para ambos os verbos: sanar uma injustiça ou sanear uma injustiça.

7) Num segundo aspecto, vê-se que ora se empregou um verbo, ora se empregou outro para expressões que podem ser tidas como sinônimas, similares e intercambiáveis: sanar o desequilíbrio fiscal e sanear as finanças públicas; sanar um mal e sanear a corrupção; sanar um enfermo e sanear a população atingida pela epidemia. E o contexto mostra que nada impediria fossem trocados tais verbos, sem perda ou alteração de significado.

8) E, assim, em resposta específica à indagação da leitora, podem-se fazer as seguintes afirmações: a) por um lado, talvez haja uma ou outra expressão consagrada no idioma, em que esteja cristalizado emprego de sanar ou de sanear; b) dificilmente, entretanto, se verá algum exemplo em que ambos os verbos não possam ser tidos como sinônimos e intercambiáveis; c) e, de modo específico para os exemplos trazidos para análise, pode-se afirmar com segurança que é optativo o emprego de qualquer deles: sanar as falhas apontadas ou sanear as falhas apontadas.

Manual de Redação Jurídica
José Maria da Costa

José Maria da Costa é graduado em Direito, Letras e Pedagogia. Primeiro colocado no concurso de ingresso da Magistratura paulista. Advogado. Mestre e Doutor em Direito pela PUC/SP. Ex-Professor de Língua Latina, de Português do Curso Anglo-Latino de São Paulo, de Linguagem Forense na Escola Paulista de Magistratura, de Direito Civil na Universidade de Ribeirão Preto e na ESA da OAB/SP. Membro da Academia Ribeirãopretana de Letras Jurídicas. Sócio-fundador do escritório Abrahão Issa Neto e José Maria da Costa Sociedade de Advogados.