sábado, 19 de setembro de 2020

COLUNAS

Porandubas nº 131

A UM PASSO DA CANDIDATURA

A pesquisa Datafolha, que lhe dá uma vantagem de 4 pontos percentuais na frente de Marta Suplicy, deixa Geraldo Alckmin a um passo da candidatura à prefeitura de São Paulo. Geraldo começa a se movimentar como pré-candidato. Articula, conversa com correligionários, toma pé das coisas e começa a compor a equipe. A essa altura, o governador José Serra não tem força para afastá-lo do páreo. Disputarão os três candidatos - Geraldo, Marta e Kassab - e, no segundo turno, o atual prefeito vai ao encontro do tucano. Essa é a alternativa que resta se não quer desistir desde já.

ATOR SECUNDÁRIO

Gilberto Kassab imaginava ser um dos dois atores principais da peça eleitoral deste ano. Seus marqueteiros, dando vazão à idéia "você vai crescer", o estimulam a ir em frente. Ora, Kassab será sempre coadjuvante em uma luta polarizada entre tucanos e petistas. Imaginava quebrar a polarização. Não conseguirá. A avaliação sobre sua administração tem melhorado, não a ponto de significar expansão da intenção dos paulistanos para lhe confiar a continuidade do mandato.

CAMPANHA MENOR

A pré-campanha eleitoral deste ano será mais curta que outras. "O mar não está pra peixe". Falta grana para suprir as estruturas. O empresariado que costuma participar receia investigações. A lupa do Ministério Público está afiada. Definições em torno de algumas candidaturas são adiadas, seja por conveniência de candidatos ou por disputas intra e interpartidárias. Ademais, nas médias e grandes cidades, as decisões levarão em conta os horizontes de 2010. A força estará com o Tio Patinhas, ele mesmo, Luiz Inácio, que tem a chave do cofre.

E A BOMBA DO SERRA, HEIN ?

Há dias, alertamos sobre uma bomba que poderia explodir no colo do governador José Serra : a licitação para a substituição da sinalização do Metrô por um sistema que conduz o trem automaticamente. Preparou-se uma licitação para que o projeto caísse nas mãos de uma empresa sem experiência e tecnologia suficientes na matéria. Pois bem, a novela continua, com uma trama capenga : aparecimento de livros, cartas escritas a quatro mãos, atores despreparados, excesso de coadjuvantes. E mais : nas contas do governo, o registro da perda de ICMS. O rombo e os maus serviços recairão sobre o contribuinte.

BUMERANGUE CONTRA EDIR

Os bispos da Igreja Universal, comandados por Edir Macedo, o mega-pastor-empresário, deflagraram uma campanha contra os jornais Folha de S.Paulo, Extra e A Tarde, reagindo a uma reportagem da jornalista Elvira Lobato, que mostrou o império da rede. Os jornais decidiram reagir. O Estadão, em editorial, condenou a iniciativa da Igreja. O sistema Globo reagiu também com indignação. Um editorial de primeira página da Folha fala da intimidação e da má-fé. Um bumerangue se volta contra Macedo.

LULA TEFLON DA SILVA

Luiz Inácio é um craque. No meio da tempestade dos cartões corporativos, consegue ganhar a melhor aprovação ao governo, desde janeiro de 2003. É o que indica a pesquisa Sensus. Avaliação positiva subiu de 46,5% para 52,7% e a negativa caiu de 16,5% para 13,7%. A razão ? Lula reina sozinho. As oposições não conseguem arrumar o discurso. Falta-lhes eixo. A economia vai bem, obrigado. O povo tem mais dinheiro no bolso. E a corrupção ? Ora, essa herança é repartida com todos. Assim pensa o povo.

O EXPLOSIVO CIRO

Ciro Gomes não tem jeito. Imaginava-se um homem que aprendera com seus próprios erros. Na época da campanha presidencial de 2002, definindo o papel de sua mulher, Patrícia Pillar, na campanha, disse : "Um dos papéis mais importantes, é dormir comigo". Há dias, em debate com a atriz Letícia Sabatella, falou sobre a necessidade de "meter a mão na massa e, às vezes, (a mão fica) suja de cocô". Certa ocasião, eu mesmo lhe disse : quem lhe estraga é sua boca. O próprio concordou, mas garantiu que estava melhorando. Pelo visto, continua o mesmo.

A FÉ DE GARIBALDI

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, não perde a fé. Sabe que o governo lutará com todas as forças para derrubar restrições às Medidas Provisórias. Sabe que o governo não permitirá que vetos presidenciais - como o da Emenda 3 - sejam votados no Senado. O destemido potiguar acredita que a bandeira do resgate da dignidade do Parlamento acabará impregnando os ânimos parlamentares. Por isso, põe fé na agenda ético-moral que procura imprimir à Câmara Alta.

HOMENAGEM DO SETOR DE SERVIÇOS

A propósito, o discurso de Garibaldi pregando a independência e a dignidade das Casas parlamentares abriu espaços de apoio e solidariedade. A Central Brasileira do Setor de Serviços (Cebrasse), a primeira no gênero no país, quer lhe prestar uma homenagem. O presidente, Paulo Lofreta, e o diretor de comunicação Fernando Calvet, convidaram-no para um almoço em São Paulo com os empresários de serviços. Convite aceito de pronto. O evento será agendado para o final de março.

BRIGA DE GIGANTES JURÍDICOS

A licitação da Sabesp para a Parceria Público-Privada (PPP) do Alto Tietê - empreendimento de mais de R$ 1 bilhão para melhorar o abastecimento de água de SP - promete ser briga de gigantes jurídicos. Divulgou-se o resultado dos recursos na sexta-feira, véspera do carnaval. Na quinta de "cinzas", anunciou-se para o dia seguinte a abertura dos envelopes. Na sexta, um advogado protocolava liminar no Jurídico da empresa, enquanto as propostas eram abertas noutro prédio. Haja lenha na fogueira : falsa declaração de licença tecnológica, uso de sistemas fora de normas, mesmo local com dois endereços etc. Alegou-se pressa. Ora, a licitação esteve suspensa por quase um ano. Que esta PPP não seja chamada de Parceria Provadamente Porca.

FASCISTA ? NUNCA

A OAB é o símbolo mais iluminado do ideário da Independência, Igualdade de Direitos, Liberdade, Justiça e Cidadania. Se o Ministério Público discorda de seus métodos - incluindo listas de desafetos - que entre na arena de lutas com as armas do verbo adequado e da boa argumentação. A OAB honra a história brasileira. Esteve presente nos atos cívicos que emolduram as páginas da Independência, que ilustram as páginas da República, que qualificam os textos Constitucionais. Usar a qualificação de "fascista" para designar um ato da Ordem é, no mínimo, um erro de concordância conceitual. Nesse sentido, o nobre procurador-geral de Justiça de São Paulo, Rodrigo Pinho, filho do grande Ruy Rebello Pinho, meu amigo e contemporâneo no magistério da Faculdade Cásper Líbero, nos idos de 1970, exagerou na dose.

APLAUSOS PARA CARDOZO

José Eduardo Cardozo é um petista de coragem. Ensaia os primeiros passos como secretário-geral do PT de maneira surpreendente. Nas páginas amarelas da revista Veja, foi direto : existiu mensalão, sim. O PT deve ser mais duro com seus militantes do que com seus adversários. E agora, como fica a corrente liderada por José Dirceu, que garante a inexistência do mensalão ? Se Cardozo confirma a existência do mensalão com toda a ênfase e autoridade do cargo que detém, como reagirá o resto do partido ? O professor e constitucionalista José Eduardo merece palmas pela firmeza na expressão.

GRAEFF VERSUS DIRCEU

A querela verbal entre Eduardo Graeff, ex-secretário-geral da Presidência da República no governo FHC, e José Dirceu, ex-todo-poderoso chefe da Casa Civil no primeiro mandato de Lula, continua. Graeff procurou desmontar a versão de Dirceu sobre a identidade de Lulinha, em artigo na Folha de S.Paulo. Dirceu reagiu dizendo que o Lulinha a que se referia, na famosa entrevista à revista Piauí, era o jornalista Luis Costa Pinto. Foi refutado pela própria repórter da revista, em carta aos leitores da Folha. Graeff aparece em novo artigo, com mais pauladas nas idéias de Dirceu. Que, mesmo com novo artigo, não conseguirá derrubar a peremptória versão dada por quem lhe tomou a entrevista.

E POR FALAR EM DIRCEU

José Dirceu espera ser inocentado pelo Supremo Tribunal Federal. Por falta de provas. É bem provável que isso ocorra. Há um destampatório de acusações, denúncias, desmentidos e versões que se contradizem. Mas provas materiais inexistem, é o que se comenta. Será ? Inocentado, Dirceu correrá o país em mutirão de mobilização na malha do PT. A idéia é a de encaminhar à Câmara um projeto, de iniciativa popular, com o pedido de anistia.

CONSELHO AO GOVERNADOR JOSÉ SERRA

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos e governantes. Na edição anterior, o espaço foi um apelo às lideranças da situação e da oposição nas duas Casas Legislativas. Hoje, volta sua atenção ao governador de São Paulo, José Serra :

1) Procure apagar as fogueiras que ameaçam consumir o manto de seriedade que cobre seu governo.

2) Exija TT (Total Transparência) nas licitações, planos, propostas, contas e cartões corporativos e punição aos responsáveis pelos ilícitos.

3) Aceite, logo, a idéia de ter um tucano como candidato à prefeitura de São Paulo, desobstruindo todos os caminhos da candidatura de Geraldo Alckmin.

_______________

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar
COORDENAÇÃO
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato, (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.