segunda-feira, 21 de setembro de 2020

COLUNAS

Porandubas nº 144

LÍDER DA BIOCIVILIZAÇÃO

O Brasil será o país líder da biocivilização. O futuro colocará a biomassa na frente dos combustíveis fósseis (petróleo, gás natural e carvão mineral). E o Brasil será o território privilegiado da nova energia. É o que garante Ignacy Sachs, polonês naturalizado francês, que já morou em nosso país e hoje é professor da Escola de Altos Estudos de Ciências Sociais da França.

A GUERRA VAI COMEÇAR

Falta só a definição do bloquinho - PDT-PSB-PC do B - para fechamento do quadro de alianças em São Paulo. Se Marta Suplicy conseguir retirar o nome de Aldo Rebello do páreo, eventual candidato do bloquinho, garantirá boa visibilidade na campanha de rádio e TV. Se Aldo for candidato, Marta, candidata vistosa, perderá muito pois terá menor visibilidade. Já o prefeito Gilberto Kassab, com 10 minutos de programa, será muito bem visto. Vai colocar os AMAs (Assistência Médica Ambulatorial) em contraposição aos CEUs da ex-prefeita. Alckmin se contentará com a agenda propositiva. Sem mostrar feitos.

CENÁRIOS

Sob essa moldura, veremos os seguintes cenários : a) Marta sairá na frente do primeiro turno, com Alckmin logo atrás; b) no segundo turno, ficará atrás de Alckmin; c) se o adversário for Kassab, Marta perderá também no segundo turno. Lógica : os votos de Kassab e Alckmin migrarão em maior quantidade de um para outro. Será difícil, mas não impossível, uma vitória de Marta.

CHANCES DE HOJE

Em uma escala de 0 a 10, esta Coluna, amparada na última pesquisa Datafolha, considerando migração de votos entre os três candidatos e taxas de rejeição, atribui nota às suas chances de vitória : Alckmin, 8; Kassab, 7; e Marta, 6. Explicação : Geraldo tem a menor taxa de rejeição e a maior parte dos votos de Kassab, em um segundo turno, fecha com seu nome. Atenção : essa é a atual posição. Tudo pode mudar. O imponderável faz parte da política.

FUNDO SOBERANO

Esse Guido Mantega gosta mesmo de dar sinuca de bico no governo a que serve. Defende um tal de Fundo Soberano para financiar empresas brasileiras no exterior e, ao mesmo tempo, sugere a criação de uma nova CPMF para bancar o financiamento da Saúde. A arrecadação bate recordes históricos. Como justificar essa nova fonte de financiamento ? Lula tirou o corpo da jogada. E quando percebeu que criar novo imposto em ano eleitoral é sujeira certa na imagem, foi logo dizendo : "Quem pariu Mateus que o embale". Jogou a responsabilidade sobre o Congresso. A medida não será aprovada.

NINGUÉM SABE DE NADA

O tal de Aparecido, que vazou o dossiê dos cartões corporativos, ao enviá-lo para o ex-amigo André Fernandes, não poderá ser preso porque se abrigou em habeas corpus. Ou seja, continuará a dizer : não sei se mandei; se mandei, não sei a razão; se houve razão, não sei quem é a responsável; desconfio, até, que não existe esse dossiê; só sei que sou do PT, o partido mais ético da República. E la nave va...

O CASO ALSTOM

Esta Coluna foi a primeira a abrir espaço para denúncias envolvendo a empresa francesa Alstom. Em tela, preços de trens mais altos que os de outros sistemas e licitações que são objeto de recursos na Justiça. O Metrô responde : "Em relação aos questionamentos sobre o contrato de aquisição de trens para a Linha 2-Verde, o Metrô informa que ele está dividido em duas fases. A primeira foi encerrada em 98/99, com a entrega dos trens. A 2ª não foi à época autorizada por falta de recursos financeiros. Em 2004, com a liberação de recursos para a expansão da Linha 2 - Verde, tornou-se imperioso adquirir novos trens para atender o cronograma das obras civis. Em razão disso, a 2ª fase foi então autorizada, com acréscimo de 5 trens. Com isso, evitamos o desperdício de dinheiro público e não deixaremos de atender cerca de 700 mil usuários-dia, nessa linha. A ordem de serviço do contrato ocorreu em maio de 2007".

PREÇO MAIS ALTO ?

"Referente à comparação entre a aquisição de trens em São Paulo e em Salvador, o Metrô esclarece que a composição do preço de um trem leva em consideração diversos fatores : tamanho e especificação da caixa, motorização, sistema de frenagem, confortos adicionais, peso, itens de segurança operacional, nível de automatização, entre outros. O Metrô exige, em suas especificações, o modelo completo, com alto nível de exigência técnica, que considera inclusive o elevado carregamento de passageiros de suas linhas. Não é tecnicamente correto comparar preços de trens sem se equalizar as suas especificidades técnicas. Com a devida proporção, é o mesmo que comparar o preço de carros de modelos diferentes. Os dois são carros, mas os preços são incomparáveis".

RECURSOS NA JUSTIÇA

"Quanto ao mandado de segurança sobre o sistema de sinalização, o Metrô analisou dois recursos interpostos contra a decisão de selecionar a proposta economicamente mais barata para a troca do sistema de sinalização das linhas 1, 2 e 3. Todos os aspectos técnicos especificados nos recursos foram exaustivamente analisados. Depois disso, sem que nenhum dos recursos tenha logrado apontar deficiência da proposta vencedora, o Metrô decidiu manter a seleção da proposta mais vantajosa. Um dos licitantes ajuizou uma Medida Cautelar contra a decisão do Metrô. Não houve concessão de liminar e o Metrô está, no presente, elaborando sua defesa na ação". Vamos aguardar o desfecho na Justiça.

VETO À VERBA

Lula promete vetar a regulamentação da Emenda 29, que destina recursos da União, Estados e municípios para a saúde. O ministro da Saúde, se houver o veto, vai defender com unhas e dentes a criação de nova CPMF. Lula diz que a Emenda 29, do jeito que está, pode ser "extemporânea". Temporão que o diga.

O TAMANHO DA NOVA MORDIDA

Para Lula não vetar a Emenda 29, os governistas tratam de armar nova mordida : recompor a CPMF, com alíquota de 0,10%, menor do que a antiga, de 0,38%. Assim, serão arrumados os R$ 20 bilhões a serem alocados no Orçamento para a Saúde até 2011. Além disso, o IPI dos cigarros e bebidas alcoólicas será elevado.

E ESSE MINC, HEIN ?

Esse ministro Carlos Minc chegou ditando regras e fazendo exigências. Pareceu mais que arrogante. Recebeu o convite do presidente Lula e já se acalmou. Se não dava nenhum valor ao ministro Mangabeira Unger, passou a dar. O ministro extraordinário para estudar o futuro do Brasil vai continuar sendo o coordenador do Programa Amazônia Sustentável. Vamos ver se esse Minc meio dourado (vejam o cabelo dele) vai fazer tremer, como promete, os devastadores da floresta amazônica. Há quem garanta : não terá vida longa.

PERGUNTA QUE CALA

Por que o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, vai tanto a Paris ? Essa última foto dele, soltando as mãos no guidão de uma bicicleta em plena rua, mostra que, na capital das Luzes, o governador pode se mostrar peralta. No Rio, poderia entrar no perigoso terreno da galhofa.

A CAMPANHA MUNICIPAL

Perfil ideal para o figurino municipal : espírito empreendedor, com trabalho reconhecido em uma organização não governamental de respeito, entre 30 a 45 anos, passado limpo, sem escândalos e denúncias que possam sujar a imagem, propostas objetivas, expressão de fácil entendimento, despojado, simples, flexível, bom de ouvido, transparente.

UM DEDO NA IMAGEM

A noiva de Ronaldo, o fenômeno flagrado na farra com travestis, nem teve tempo de usufruir os adjetivos geralmente aplicados às companheiras traídas : coitadinha, gente boa, compreensiva, excelente caráter. Bastou mostrar um dedo obsceno para os repórteres para ganhar a fama de "gênio difícil", arrogante, petulante, esquentada. É quando o dedo maltrata a imagem.

O SEMANÁRIO DIÁRIO

José Maria Alkmin (sem o C do Geraldo Alckmin), raposa mineira, encontrou-se com o diretor do jornal O Debate, semanário de Belo Horizonte e tascou : "Excelente seu jornal, Osvaldo. Leio-o todos os dias". Osvaldo Nobre quis tirar um sarro : "Mas se trata de um semanário, doutor". Resposta de calar o bico : "Semanário para você, que faz jornal uma vez por semana. Para mim, que o leio todos os dias, é diário".

TÁTICAS DE LULA

Evitar, nos próximos meses, super-exposição de Dilma Rousseff para diminuir ciúmes dos partidos da base; dividir cada vez mais o PT para reinar; reforçar o trabalho de cooptação dos partidos da base; multiplicar as viagens pelo país, vendendo o PAC; multiplicar as conversas na boca da noite com aliados, amigos e empresários para melhorar a percepção; continuar a fechar mais a boca, só para a alimentação, com direito a expressão exagerada; visitar municípios-chave para ajudar candidatos da base.

A LÍNGUA UNIFICADA

Saiu, enfim, o acordo sobre a língua portuguesa. Para os portugueses, caem as letras não pronunciadas, como o "c" em acto e director, o "p" em Egipto e o acento que distingue o pretérito perfeito do presente (em Portugal escreve-se "levámos", no passado, e "levamos", no presente). Apesar do acordo, os portugueses vão continuar a escrever António e género com acento agudo, enquanto no Brasil fica o circunflexo. Também vão manter o "c" em facto - fato em Portugal é roupa - e tiram o "p" que não pronunciam na palavra "recepção". Mais mudanças : o trema da palavra freqüente será totalmente eliminado.

SEM ACENTOS

Acaba o acento nos ditongos 'ei' paroxítonos. Dessa maneira, 'idéia' vira 'ideia'; acento circunflexo : quando dois 'os' ficam juntos também some. Logo, 'vôo' vira 'voo'; cai também o acento diferencial, que distinguia palavras homônimas de significados diferentes. Pára do verbo parar, vai ficar apenas 'para'. E sai a maioria dos hífens.

CONSELHO AO CARLOS MINC

Esta Coluna dedica sua última nota a pequenos conselhos aos políticos, governantes e líderes nacionais. Na edição passada, o espaço foi destinado aos 5.564 candidatos a prefeito nas eleições de outubro. Hoje, volta sua atenção ao novo ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc:

1) Substituir o estilo performático pelo estilo franciscano da simplicidade.

2) Escolher poucas idéias-chave para não se perder na floresta de promessas.

3) Ser mais cauteloso, ouvir mais que falar.

4) Fazer proposições que, efetivamente, possam ser realizadas.

__________________

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar
COORDENAÇÃO
Gaudêncio Torquato

Gaudêncio Torquato, (gt@gtmarketing.com.br) é jornalista, consultor de marketing institucional e político, consultor de comunicação organizacional, doutor, livre-docente e professor titular da Universidade de São Paulo e diretor-presidente da GT Marketing e Comunicação.