Sábado, 24 de agosto de 2019

ISSN 1983-392X

Migalhas não viu ou fez que não viu?

Marco Aurélio F.Anjos

O jornalista Frederico Vasconcelos mostrou que bem que poderia substituir em definitivo o prof.Mangabeira Unger na Folha de S.Paulo, pois revelou competência de sobra para isso ao, antenontem (13/12), publicar matéria que sob o título “Salvo melhor juízo” noticiou a retomada, na semana passada, do julgamento no STJ de rumorosa ação penal em que se apura a manipulação da distribuição de um habeas corpus que resultou na soltura de um narcotraficante, na qual figura como réu o desembargador Paulo Theotonio Costa, do Tribunal Regional Federal de S.Paulo.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2006


Migalhas não viu ou fez que não viu?

Marco Aurélio F. Anjos*

O jornalista Frederico Vasconcelos mostrou que bem que poderia substituir em definitivo o prof. Mangabeira Unger na Folha de S. Paulo, pois revelou competência de sobra para isso ao publicar matéria que sob o título “Salvo melhor juízo” noticiou a retomada do julgamento no STJ de rumorosa ação penal em que se apura a manipulação da distribuição de um habeas corpus que resultou na soltura de um narcotraficante, na qual figura como réu o desembargador Paulo Theotonio Costa, do TRF/SP.

A matéria vale ser lida por todos os migalheiros, pois traz lances desconcertantes, como a demora do relator em dar andamento ao processo, além de alguns supostos pronunciamentos de colegas do Desembargador, revelando um corporativismo que pode interferir no resultado da ação.

Há também a menção a outras ações no STJ, objetivando a apuração de fraudes em distribuições, venda de sentença, além da suspeita da existência de patrimônio incompatível com a renda, o que em muito lembra o caso do também juiz federal, João Carlos da Rocha Mattos, preso na Operação Anaconda.

Inobstante isso, Migalhas não deu uma linha sequer acerca do caso? Por que será?
________________

*Diretor do Procon Taboão da Serra





_______________