Sexta-feira, 24 de maio de 2019

ISSN 1983-392X

Foro de São Paulo

P. Xisto

Parece coincidência a eleição de Presidentes da esquerda em diversos países da América Latina? Parece coincidência a escalada do crime organizado no Brasil? Parece coincidência o Brasil ser uma grande lavanderia de dinheiro? Será que nada disso está interligado?

quinta-feira, 8 de junho de 2006


Foro de São Paulo


P. Xisto*


Parece coincidência a eleição de Presidentes da esquerda em diversos países da América Latina? Parece coincidência a escalada do crime organizado no Brasil? Parece coincidência o Brasil ser uma grande lavanderia de dinheiro? Será que nada disso está interligado?


O Foro de São Paulo é um congresso de partidos políticos de esquerda da América Latina, e que foi criado pelo Presidente de Cuba, Fidel Castro, com a ajuda do Presidente Lula e do Partido dos Trabalhadores. Foi criado em 1990 após o Encontro de Partidos e Organizações de Esquerda da América Latina e do Caribe.


O objetivo do Foro de São Paulo é recuperar na América Latina o socialismo que foi perdido no Leste Europeu e são seus participantes:

• Partido Comunista Cubano

• Partido dos Trabalhadores (PT)

• Exército de Libertação Nacional (ELN)

• Forças Armadas Revolucionárias de Colômbia (FARC)

• Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN)

• União Revolucionária Nacional da Guatemala (URNG)

• Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN)

• Partido da Revolução Democrática (PRD)

• MIR Chileno

O Foro de São Paulo trabalha por uma maior integração continental através do intercambio de experiências, discussão das diferenças e busca de consenso para as ações das esquerdas no Continente, e nos diversos encontros que foram realizados foi reafirmada a vontade política de continuar essa trajetória de diálogo entre diversas tradições de esquerda. Segundo consta do próprio site da entidade, “os balanços políticos, ano após ano, mostram a crescente influência dos partidos do Foro de São Paulo na América Latina.”


O Foro de São Paulo ainda mantém relações com outras iniciativas que aglutinam partidos políticos latino-americanos e caribenhos, como a Conferência Permanente de Partidos Políticos de América Latina (COPPPAL), a Coordenação Socialista Latino-Americana (CSL) e Comitê da Internacional Socialista para América Latina e Caribe (SICLAC).


Segundo o referido site, o Foro de São Paulo “é um exemplo de diplomacia para a cidadania”.


O Presidente Lula, no ato político de celebração aos 15 anos do Foro de São Paulo, em 2 de julho de 2005, disse em seu discurso a respeito da “criação do Grupo de Amigos para encontrar uma solução tranqüila que, graças a Deus, aconteceu na Venezuela. E só foi possível graças a uma ação política de companheiros. Não era uma ação política de um Estado com outro Estado, ou de um presidente com outro presidente. Quem está lembrado, o [Hugo] Chávez participou de um dos foros que fizemos em Havana. E graças a essa relação foi possível construirmos, com muitas divergências políticas, a consolidação do que aconteceu na Venezuela, com o referendo que consagrou o Chávez como presidente da Venezuela.”


O Presidente Lula ainda acrescenta que “Foi assim que nós pudemos atuar junto a outros países com os nossos companheiros do movimento social, dos partidos daqueles países, do movimento sindical, sempre utilizando a relação construída no Foro de São Paulo para que pudéssemos conversar sem que parecesse e sem que as pessoas entendessem qualquer interferência política.” (sic)


Mais à frente, o Presidente Lula registra “que os companheiros do Movimento Sem-Terra fizeram uma grande passeata em Brasília. Organizada, muito organizada. E todo mundo achava que era um grande protesto contra o governo. O que aconteceu? A passeata do Movimento Sem-Terra terminou em festa, porque nós fizemos um acordo entre o governo e o Movimento Sem-Terra, pela primeira vez na história, assinando um documento conjunto.”


Para quem acha que isso é pouco, na Declaração do Foro de São Paulo sobre a integração e a questão dos direitos dos trabalhadores, aprovada no 12o Encontro realizado em São Paulo no ano de 2005, consta que o mencionado grupo defende um conjunto de ações que coincidem com iniciativas de outros setores, mas vão além, pois entendem que estes – empresariais em particular – não priorizam nem irão priorizar a defesa dos interesses gerais da sociedade. Segundo essa Declaração, a ALCA, da forma como está colocada, “servindo como estratégia do imperialismo norte-americano, para uma globalização neoliberal,” não interessa, é preciso questionar o papel da OMC, “enquanto supervisora da liberalização global, protegendo os interesses dos países ricos e das transnacionais”.


Os participantes do Foro de São Paulo acreditam ainda que as empresas procuram iludir os desavisados para levá-los a acreditar “que estas, efetivamente, estão contribuindo para a diminuição das disparidades sociais” quando anunciam que têm responsabilidade social. E que “a responsabilidade social que estamos dispostos a cobrar das empresas é bem mais do que as maquiagens que fazem com objetivos de se apresentarem de forma simpática ao consumidor e aumentar seus lucros, ...”


Diante dos fatos acima apresentados, entendo que existe um movimento organizado de esquerda que pretende dominar toda a América Latina. E esse movimento pretende tomar conta de todos os países latino-americanos, para sempre, formando a URSAL – União das Repúblicas Socialistas da América Latina.


Assim, as eleições para presidente no Brasil, na Venezuela, na Colômbia, no Chile e no Uruguai já foram articuladas pelos participantes do Foro de São Paulo, que já vem trabalhando desde 1990, quando da sua criação.


A existência dessa entidade também explica as inúmeras viagens do ex-guerrilheiro (ex?) José Dirceu por todos esses países e, também Cuba. Ou seja, tudo indica que ele está preparando a reeleição de Lula para concretizar o estabelecido no Foro de São Paulo: a tomada do Estado Brasileiro!


O Presidente Lula é cínico nas suas apresentações e tenta transformar em palhaços nós os brasileiros, dizendo com a cara mais lavada do mundo que não é candidato, quando está há quase quatro anos fazendo campanha para a reeleição.


O Foro demonstra claramente a ligação do PT com as FARC, o Exército de Libertação Nacional, Frente Sandinista e outros órgãos terroristas, sendo que o Presidente Lula foi também Presidente do Foro de São Paulo. Demonstra a ligação das FARC com o Movimento Sem-Terra – MST, tão aplaudido pelo Presidente Lula. E como é que o Presidente Lula faz acordo com um movimento ilegal como o MST?


Aliás, o crime organizado tem estreitas ligações com as FARC e, conseqüentemente, com o PT e com o Presidente Lula através do Foro de São Paulo. E ele quer ser reeleito? É isso que o povo quer para o Brasil, ou o povo está sendo iludido?


São Paulo foi covardemente atacada por bandidos há alguns dias. O governo de São Paulo e a sua gloriosa Policia Militar combateram valentemente esses covardes até que a situação normalizasse. Tudo indica que o PT está por trás desse movimento, tendo em vista as suas ligações com as FARC e o crime organizado, para tentar desmoralizar o ex-Governador de São Paulo e candidato a candidato à Presidência do Brasil.


Creio que temos de repensar o que queremos para o Brasil e para nós, nossos filhos e netos. Alguma coisa tem que ser feita!
_____________

*Articulista e observador





_____________