Quarta-feira, 29 de janeiro de 2020

ISSN 1983-392X

PEP: Imersão nacional e gratuita para jovens advogados

Jovacy Peter Filho

O Programa de Experiência Profissional (PEP), em sua terceira edição, ganha o Brasil e mobiliza importantes profissionais em prol da jovem advocacia e do aprimoramento do sistema de justiça.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2019

Encerram-se na próxima segunda-feira, 15 de dezembro, as inscrições para o III Programa de Experiência Profissional (PEP). Trata-se de um projeto inspirador, voltado à capacitar, dar ferramentas práticas e, sobretudo, escutar o que os jovens advogados tem a dizer do mercado de trabalho, das novas tecnologias e dos relacionamentos humanos em torno da advocacia e do sistema de justiça.

Como um dos idealizadores do projeto, posso dizer que duas razões principais motivaram o PEP: a primeira, possibilitar o que nós mesmos não tivemos e com isso possibilitar um amadurecimento mais ágil e efetivo aos jovens advogados; e a segunda, contribuir de maneira concreta na melhoria da advocacia e do sistema de justiça. Ninguém me ensinou como administrar um escritório, como gerir pessoas e ter conexão com clientes e parceiros de trabalho. Nem mesmo que advocacia necessita de habilidades de negociação e vendas para dar sustentabilidade financeira à profissão. Isso sem falar em questões relativas ao cotidiano forense, como postura em audiências, sustentações orais, despachos e até mesmo na escrita de petições que equilibram qualidade com assertividade.

A experiência e o tempo foram apresentando as ferramentas ideais para cada uma dessas tarefas e acredito firmemente que crescemos muito quando partilhamos um pouco do muito o que já vivemos. E ao fazermos isso, ao proporcionarmos uma verdadeira mudança de mentalidade de 15 jovens advogados e advogadas em 15 dias de intensa atividade, mudamos projetos de vida, apresentamos nossos pontos de vista e impactamos pessoas. Na essência, identificamos e operamos na prática as transformações pela qual a advocacia, em especial, vem passando.

Depois de mais de uma década no exercício diário da advocacia, observando e escutando muito os colegas e seus dilemas, pude constatar as principais dores dos jovens e, por outro lado, identificar as muitas trilhas de possibilidades. Sei bem o quanto esta fase inicial na profissão costuma provar nossa resiliência e até mesmo nossa fé. E então, começamos a buscar fervorosamente informações e conteúdo que nos ajudem a impulsionar novos patamares profissionais. Sendo assim, resolvi compartilhar algumas dicas que foram fundamentais para mim. Dicas essas que estão presentes numa das oficinas do PEP chamada “Conexão e vendas na advocacia”.

É claro que há várias dicas relevantes e extremamente importantes, mas, selecionei as 5 primeiras dicas que eu gostaria de compartilhar com quem está começando a advogar agora. São conselhos simples e alguns até clichês, porém valiosos e acredito que vale muito ressaltá-los.

Crie conexão

Sempre falo muito sobre o valor da conexão com os clientes.  Para isso acontecer, a chave é a empatia. Empatia vai além de se projetar para o lugar do outro; se trata de buscar o quanto possível sentir a dor do outro, sabendo ler as emoções sentidas a partir de uma determinada vivência. Isso requer conexões verdadeiras, para que possamos então compreender o clientes da melhor maneira possível. Essa postura gera um fenômeno cerebral denominado em neurociência de espelhamento, fazendo com que uma pessoa se identifique na outra e, por consequência, se sinta mais propensa a criar vínculos e fazer negócios. Além de claro, conquistar a sua confiança para que o trabalho a ser realizado seja excelente.

Estude muito!

Um dos clichês que vale ser destacado sempre. Muitos advogados, até mesmo os que não estão iniciando, podem se esquecer e acabar relaxando nessa tarefa que não é tão simples, mas é essencial. Estudar muito não apenas disciplinas jurídicas, mas buscar em outras áreas (literatura, artes, neurociência e outras) fundamentos complementares. Não devemos nos limitar em estudar apenas na faculdade e em especializações. Mas sim, buscar diariamente conhecimento que nos elevem como profissionais. E isso é para o resto da vida. Sendo assim, mantenha-se permanentemente atualizado para oferecer as melhores soluções para seus clientes.

Preparação é essencial!

Outro ponto chave é a preparação. Nunca, de forma alguma, vá despreparado para uma reunião e, principalmente, audiência. Uma dica que pode lhe ajudar bastante é criar um roteiro antes de toda audiência, para que você entre certo do que irá falar e requerer. Isso também vai te dar ainda mais confiança para performar bem e defender os interesses e direitos de seu cliente. Inclusive, falo bastante sobre isso no meu livro, "Pela Ordem: reflexões sobre advocacia, carreira e mercado", caso queira entender mais sobre o tópico. 

Peça feedbacks

Não tem caminho melhor para o sucesso do que ouvir críticas. De verdade. Só vamos saber como melhorar e em que precisamos nos aperfeiçoar, se soubermos exatamente onde estamos errando. Desse modo, não tenha medo ou vergonha de se colocar em uma posição vulnerável para ouvir o que o outro tem a dizer sobre seu trabalho. Aliás, não tenha a prepotência de achar que não necessita disso. Solicite um feedback para seus clientes, superiores e colegas de trabalho. E mantenha esse hábito em toda sua carreira, garanto que você só tem a ganhar com isso. Eu fico extremamente feliz quando me apontam algo que eu posso evoluir, assim, serei um advogado ainda melhor para o próximo cliente e claro, um humano mais consciente. 

Tenha um mentor

Por fim, gostaria de ressaltar também a importância de ter um mentor em sua vida. 

Um mentor/mentora é aquela pessoa que ajuda você a ser sua melhor versão. Alguém que não compete com você, e sim agrega. Ele(a) compartilha momentos e ensinamentos, tanto na vida pessoal como também profissional. Geralmente é uma “escolha” mais natural. Você provavelmente já tem o seu mentor: um professor, colega de trabalho, chefe, etc. É importante que você consiga identificá-lo para então usar sabiamente mais do que essa pessoa pode oferecer. Tire dúvidas, compartilhe angústias, receios, aprendizados e evoluam juntos!

Se você é um jovem advogado, tenho certeza de que o PEP é pra você; se você já é um advogado experiente, o PEP também pode servir para você, afinal, bons mentores são como sementes de qualidade: lançam-se ao solo para projetar um futuro de colheita farta. O que mais me motiva na advocacia é a real chance de ajudar pessoas e negócios a serem melhores. O que o PEP pretende é o mesmo: fazer com que os jovens do programa (carinhosamente chamados de “Pepers”) possam viver suas melhores versões profissionais e pessoais e, assim, colaborar para o melhoria de seus ecossistemas de vida. Ganham as pessoas. Ganha muito a advocacia. Venha com a gente e divulgue essa ideia. Ela pode transformar uma vida. Avante!

_____________

t*Jovacy Peter Filho é mestre em direito penal e criminologia pela USP. Sócio do escritório Peter Filho, Sodré, Rebouças & Sardenberg Advogados.

t