Fertilização in vitro

13/11/2015
Falkner de Araújo Botelho Júnior

"Decisões assim, como também ocorreu recentemente no RS, até parecem conter alto grau de humanidade e de Justiça (Migalhas 3.741 - 13/11/15 - "Fertilização in vitro" - clique aqui). Porém, tais magistrados se esqueceram de que qualquer tratamento custa dinheiro? De que um plano de saúde, como o de previdência, deve seguir seriamente as previsões de cobertura para formar o cálculo de custeio? Por acaso quem arcará com essas ordens para um tratamento caro? Certamente, mais um peso para os demais consumidores, que pagam mensalidades cada vez mais altas para bancar tratamentos vultosos para causas sem risco de vida ou de prejuízo à saúde."

Envie sua Migalha