Ataque ao STF

16/8/2019
Cleanto Farina Weidlich

"... no liquidificador das ideias me vem uma interrogação: Até quando vamos continuar sendo governados por quem não tem essa atribuição institucional? O STF, cassa, liberta, impede, se omite, interfere, ... e o escambau, negando o progresso dos projetos do governo, invadindo a competência de instâncias inferiores (avocando poderes no caso da transferência de penitenciária de ex-presidente Lula), e o Congresso, idem, idem, trabalhando diuturnamente para impedir os projetos de avanço da legislação já consagrada e aprovada nas ruas (Lei anticrime, reforma de previdência, e outras tantas). Se há em nosso sistema, no mínimo que nos resta, um princípio constitucional de separação e independência entre os Poderes do Estado, nesse momento histórico, tudo isso está sendo violado, tanto pelo nosso Tribunal Constitucional, como pelas casas do Congresso Nacional. Por trás da cortina, nos corredores e nos porões dos palácios, só o que enxergamos e sentimos, são ações de postergação e impedimento para a concretização dos verdadeiros valores republicanos. Nunca antes tivemos um governo nesse país, com tanta bagagem e autoridade consagrada nas urnas, para que as mudanças e reformas do Estado sejam de fato conquistadas, todavia, tudo emperra no STF, e no Congresso. Penso, voltando ao liquidificador que não pode a sociedade que é dona de tudo isso, pois, o Estado somos nós o sofrido e vilipendiado povo brasileiro, não é o STF, não é o Congresso, e muito menos o Poder Executivo, esses poderes constituídos e os seus agentes, estão transitoriamente no exercício das funções, por outorga do poder verdadeiro que emana do povo. Se somos tantos e eles tão poucos, como vamos continuar tolerando e sofrendo todos os descalabros que nos atingem a cada dia, que nos fazem sofrer e nos sentir impotentes. O remédio estão em suas mãos Senhor Presidente da República, o povo que é o destinatário das consequências que advirão está totalmente de acordo, então, comece com a destituição do STF, via intervenção do Poder Executivo, com base no art. 142, que a população brasileira inteira, pela primeira vez na história já sabe de cor, e depois, feche o Congresso, para que, batendo a cabeça no fundo do poço, possamos trazer à superfície um balde cheio de água limpa, é só disso que o Brasil precisa. Estamos revivendo um momento histórico muito semelhante ao da Independência do Brasil, cuja luta foi árdua e tocou ao Dom Pedro Primeiro, está na hora de uma retomada de rumos, naquela ocasião (1822), o inimigo era o Império Colonialista, e nesse passo, os inimigos são os juízes da nossa Suprema Corte Constitucional, e os Congressistas (Senado e Câmara Federal), todos de uma forma ou outra comprometidos com os atos que estão sendo investigados, já muitos apurados, pela Operação Lava Jato. Cordiais saudações!"

Envie sua Migalha