Ministério da Saúde

10/6/2020
Cleanto Farina Weidlich

"Por falar em Ministérios, aproveito o gancho para além de enviar o meu sempre sentimento de respeito e crescente admiração ao migalheiro Zé Preá - um baluarte de cultura e do folclore nordestino - para falar que alertado por carinhosa mensagem de outro migalheiro de escol Francimar Torres Maia, assisti a solenidade de posse do novo Secretário Nacional de Justiça, e não preciso dizer - para os que já me conhecem - mas de fato chorei, nem precisei esperar a nossa Primeira Dama sra. Michele Bolsonaro, chorar em seu discurso, aquele choro intestino que vem à cavalo em emoção boa. O novo Secretário Nacional de Justiça Doutor Claudio de Castro Panoeiro, e sobre ele a Wilkipedia traz: 'Cláudio nasceu com uma doença autoimune e degenerativa da retina chamada retinose pigmentar. O problema começou a se manifestar quando ele ainda tinha dois anos de idade. Aos 17, Cláudio já não enxergava mais. Ele estudou em uma escola convencional do Rio de Janeiro até os 10 anos. Em seguida, foi para o Instituto Benjamin Constant, onde aprendeu braile e ficou até o fim do ensino fundamental. Cursou o ensino médio no Colégio Pedro 2º e, em 1999, fez sua graduação em Direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro. [2] O advogado afirma que a tecnologia foi um dos grandes instrumentos que o ajudaram a superar a falta de visão. Foi assim com o doutorado, conta. Enquanto produzia sua tese, utilizou programas de computador que transformam texto em áudio. 'Minha tese é 99% em cima de livros eletrônicos', diz.[3]. Mais um grande motivo para continuar acertando - como já venho fazendo há mais de 10 anos quando conheci o amigo Francimar Torres Maia - não tenho nenhuma dúvida, e não estou sendo irônico, o cego sou eu. E sobre a pessoa do Doutor Claudio de Castro Panoeiro, tendo ele assumido importante função como Secretário Nacional de Justiça, penso que embora não vá trabalhar diretamente com a jurisdição (dizer o Direito), por não ser juiz, importantes avanços podemos esperançar para que o ideal de Justiça que deve estar presente em todas as decisões judiciais e no caso administrativas, para que um dia a Justiça, a Majestade da Justiça, volte a ser verdadeiramente cega. O ar, o oxigênio está mais respirável em 'Pindorama', pois, quando se é governado por pessoas inteligentes e corajosas, mas tão inteligentes e corajosas que nomeiam para os mais importantes cargos da República, pessoas com verdadeiro preparo científico para o desempenho das suas atribuições, podendo até ser mais preparadas e inteligentes do que elas, é o supra sumo da glória. Cordiais saudações!"

Envie sua Migalha