Supersalários de desembargadores e servidores do Judiciário

4/12/2006
Francisco de Assis e Silva - advogado em São Paulo, OAB/SP 232.716, Diretor Jurídico do Grupo JBS S/A

"Caro Diretor. Eu confesso-me acabrunhado com a imagem de um Desembargador ter que ir à Imprensa justificar porque um ou outro Colega ganha 4 ou 5 mil reais a mais. Isto é uma afronta a imagem do Julgador. Cada Desembargador deveria ganhar um valor digno para viver somente da profissão, para dignificar-se com o 'múnus' público de 'dizer o direito', muitas vezes em última instância. Ficar discutindo que um Desembargador ou Ministro das cortes superiores têm que ganhar menos que qualquer Gerente de Empresa de Venda de Leite, é um Descalabro e uma prova de que a Nação não está preocupada com o Sistema Judiciário nem com a Dignidade do Julgador, e sim com quimeras de 4 ou 5 mil reais. O Poder Judiciário há de ser um órgão independente, livre, soberano e bem remunerado. Um Ministro ganhar a mesma coisa que um Gerente de Vendas (ou até menos) para 'Dizer o Direito' é um descalabro, uma forma de não incentivar a carreira e a dedicação exclusiva. E mais, repito, por uma boa Justiça a Sociedade Paga. Paga Custas Processuais, paga Tributos e quer ver os seus magistrados bem remunerados. No Supremo são apenas 11 Ministros, para que se Dediquem Exclusivamente à tarefa de julgar, porque não se propõe o teto de R$ 100.000,00."

Envie sua Migalha