Artigo - A corrupção dos miseráveis

27/12/2006
José Roberto Ferreira Militao

"Vislumbro no artigo (Migalhas 1.564 – 27/12/06) da Dra. Sylvia Romano ('A corrupção dos miseráveis’ – clique aqui) a reprodução de uma lamentável e elitista campanha contra os benefícios sociais, num país em que milhões e milhões procuram e não encontram empregos no dia-a-dia, ao denominar por 'corrupção dos miseráveis', generalizando a eventual fraqueza de caráter de alguns aproveitadores para receber benefícios. É um absurdo estigmatizar por 'corrupção dos miseráveis' uma novidade na assistência social e distribuição de rendas, em que a pobreza não signifique o equivalente a humilhação da miséria absoluta, e que se reverte em imediato consumo da cesta básica e de produtos, o que no Nordeste tem representado o crescimento econômico de 20% ao ano, contra 2,8% da média nacional, conforme IBGE, não pode ser equiparada aos cinco séculos de 'corrupção das elites', transformadora em 'caixa 2' e que hoje se estima em 200 bilhões de dólares retirados do país e depositados em paraísos fiscais e não investidos em serviços e infra-estrutura pública, em negócios, empresas e empreendimentos o que impede o crescimento da economia nacional. A campanha que se espera, especialmente dos operadores do Direito, é para que a Polícia Federal e os governos estaduais sejam ainda mais ativos para desmontar, prender e recuperar dos 'sanguessugas' em geral, os recursos públicos sonegados e desviados das atividades produtivas, indispensáveis ao bem-estar social e ao crescimento econômico, com os quais seriam gerados os milhões de empregos formais e desestimulada a necessidade do assistencialismo degradante. Uma campanha contra a assistência social, ainda insuficiente, é deprimente e preconceituosa contra os pobres."

Envie sua Migalha