Getúlio

25/8/2004
Alexandre Thiollier - escritório Thiollier Advogados

"Se meu avô, René Thiollier, e meu pai, Alexandre Thiollier, vivos fossem, estariam a execrar esse oba-oba a favor do ditador Getúlio Vargas, pois viveram, ainda que em épocas distintas, todas as hipocrisias deste déspota. Ao enviar a judia Olga para as mãos dos nazistas, a história deste assassino não deveria encontrar eco nem mesmo em jornalecos marrons, mas infelizmente nossa terra tem memória curtíssima. De meu lado, prefiro ficar com as verdades que me foram contadas em casa, ao redor da mesa redonda do café da manhã, e não na suposta "meia verdade histórica" de alguns, que querem transformar, agora, esse tirano em nacionalista. Considerando as últimas declarações do nosso primeiro mandatário no Gabão e os futuros Conselhos da Justiça e de Jornalismo, daqui a 50 anos haverá vozes afirmando que o Presidente Lula era um nacionalista... Primeiro, desarma-se a população civil, mesmo com a movimentação guerrilheira do campo, patrocinada, entre outros, por recursos dos bancos governamentais. Adite-se, então, um tempero de restrição à livre imprensa e se controla, na seqüência, o Poder Judiciário pelo Conselhão de Justiça, indicando para os cargos representantes do comissariado do povo... Far-se-á, assim, rapidamente, mais um nacionalista, até porque o empresariado nacional já de há muito é refém do Estado... Há gente, muita gente, neste Brasil varonil, pensando que babado é bico..."

Envie sua Migalha