Leitores

Poupança

ontem
Adelino de Oliveira Soares

"Em fevereiro e março de 2020 centenas de advogados pediram à ministra Cármen Lúcia para negar a homologação do 'Acordo' em que bancos pretendem manter suspensos os julgamentos de milhares de ações sobre os rendimentos das cadernetas de poupança. Para relembrar e os advogados insistirem, é muito útil que Migalhas coloque uma nota assim: 'O Advogado Adelino Soares lembra que no início de 2020 centenas de colegas, pediram, no RE 626307, para ser negada a tentativa de manter por mais cinco anos a suspensão dos julgamentos, em todo o país, de quase 400.000 ações que buscam os rendimentos da poupança pagos a menos de 1987 a 1990. Esta partiu da Febraban, foi assinada também pelo dr. André Mendonça, e até hoje a ministra Cármen Lúcia não a rejeitou, retardando a solução a que fazem jus centenas de milhares de poupadores."

Envie sua Migalha