terça-feira, 22 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Resolução do TRF da 3ª região libera uso de aparelhos eletrônicos nas consultas processuais


High Tech

Resolução do TRF da 3ª região libera uso de aparelhos eletrônicos nas consultas processuais

A autorização do uso de "scanner" portátil e máquina fotográfica para reprodução de peças processuais no TRF da 3ª região e na Justiça Federal de São Paulo e Mato Grosso do Sul foi regulamentada pela presidente do Tribunal, desembargadora federal Marli Ferreira, por meio da assinatura da Resolução n°167 (v. abaixo), de 22 de fevereiro de 2008.

Considerando a necessidade de uniformizar os procedimentos, a presidente liberou a utilização de aparelhos de captação de imagens para a reprodução de peças constantes de autos de processos judiciais, em andamento ou findos.

Os processos que correm em sigilo ou segredo de justiça somente poderão ser examinados e objeto de reprodução pelas partes ou seus procuradores.

A implantação deste serviço vem ao encontro de uma solicitação da AASP - Associação dos Advogados de São Paulo, com o objetivo de facilitar o trabalho nas consultas processuais. Para a presidente Marli Ferreira, toda essa movimentação em termos de informática é importante "porque contribui para a diminuição do atendimento no balcão, economizando o tempo dos advogados".

Para ter acesso à íntegra da resolução é só acessar o site do TRF da 3ª região (clique aqui) e procurar em Atos Normativos. A medida foi disponibilizada no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 3ª região em 26/2/08, Caderno Administrativo, página 1, e publicada no dia 27 do mesmo mês.

  • Confira abaixo a resolução na íntegra.

__________________
_____________

RESOLUÇÃO 167, DE 22 DE FEVEREIRO DE 2008

Autoriza uso de "scanner" e máquina fotográfica para reprodução de peças.

A PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições regimentais, CONSIDERANDO a necessidade de uniformização de procedimentos nas Subsecretarias processantes,

R E S O L V E:

Art. 1º Autorizar, exclusivamente no balcão de atendimento, o uso de "scanner" portátil, máquina fotográfica ou outro aparelho de captação de imagens para a reprodução de peças constantes de autos de processos judiciais, em andamento ou findos.

§1º Os processos que correm em sigilo ou segredo de justiça somente poderão ser examinados e objeto de reprodução pelas partes e seus procuradores.

§2º Não será permitido o desencarte de peças processuais para a reprodução, bem como não serão autenticadas as reproduções obtidas pelos meios referidos no caput.

Art. 2° Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.

MARLI FERREIRA

Presidente

_________________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar