quinta-feira, 9 de julho de 2020

ISSN 1983-392X

Correios -TST formaliza proposta para pôr fim à greve

O presidente do TST, ministro Rider Nogueira de Brito, apresentou proposta formal aos representantes da ECT e da Federação dos Trabalhadores - Fentect com o objetivo de encerrar a greve da categoria e retomar as negociações sobre os temas econômicos.

sexta-feira, 11 de julho de 2008


Correios

TST formaliza proposta para pôr fim à greve

O presidente do TST, ministro Rider Nogueira de Brito, apresentou proposta formal aos representantes da ECT e da Federação dos Trabalhadores - Fentect com o objetivo de encerrar a greve da categoria e retomar as negociações sobre os temas econômicos.

Rider de Brito se reuniu no dia 9/7, em seu gabinete, em horários diferentes, com o presidente da ECT, Carlos Henrique Custódio, e com o presidente da Fenect, Manuel Cantoara.

Aos dois, ele entregou o documento no qual detalha a proposta em sete cláusulas, enfatizando sua disposição para intermediar as negociações, mediante a realização de duas reuniões por semana, até o final de julho, em busca de uma solução negociada para o conflito. O TST aguarda o posicionamento das partes sobre o assunto.

Nas primeiras cláusulas, o ministro propõe que a ECT suspenda a aplicação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários de 2008, "exclusivamente em relação aos carteiros que prestam serviços externos, prevalecendo todas as condições anteriores." Na prática, isso significa que os carteiros deixariam de receber o valor linear de R$ 260, que foi estabelecido pelo novo plano, e voltariam a receber, em julho e agosto de 2008, os 30% de abono, como acontecia antes. Como contrapartida dos trabalhadores, o ministro propõe a suspensão da greve a partir da zero hora desta sexta-feira, 11 de julho.

Nas cláusulas seguintes, a proposta trata dos compromissos que as duas partes devem assumir para voltar a discutir o plano de cargos, com a intermediação do presidente do TST.

Uma das condições estabelece que a pauta será previamente estabelecida, sem possibilidade de ampliação dos temas em discussão. Na medida em que for ocorrendo consenso, cada tema será levado, oportunamente, à apreciação e homologação pela Seção de Dissídios Coletivos do TST, passando a fazer parte, "para todos os efeitos de direito, do Plano de Cargos, Carreiras e Salários/2008." Outro compromisso é que, durante as negociações, os trabalhadores não poderão deflagrar qualquer movimento grevista.

O ministro destacou que o objetivo de sua proposta é estabelecer um clima propício às negociações que possam conduzir a uma solução negociada do conflito, devolvendo às partes "a convivência harmoniosa, indispensável para o bom relacionamento que deve existir entre empregados e empregadores."

_________
______________

Leia mais

  • 7/7/2008 - TST determina manutenção de 50% de empregados -clique aqui.

____________________

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram