sábado, 26 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

OAB/SP entrega Prêmio Maria Immaculada a nove advogadas

Em solenidade que acontecerá na próxima terça-feira, 9/9, às 19h, no Salão Nobre da Seccional (Praça da Sé, 385, 1º andar), a OAB/SP - por meio da sua Comissão da Mulher Advogada e do Departamento de Evento e Cultura - promove a entrega do Prêmio Maria Immaculada Xavier da Silveira a nove mulheres advogadas que se destacaram por seus méritos e atitudes no campo profissional.


Prêmio

OAB/SP entrega Prêmio Maria Immaculada a nove advogadas

Em solenidade que acontecerá na próxima terça-feira, 9/9, às 19h, no Salão Nobre da Seccional (Praça da Sé, 385, 1º andar), a OAB/SP - por meio da sua Comissão da Mulher Advogada e do Departamento de Evento e Cultura - promove a entrega do Prêmio Maria Immaculada Xavier da Silveira a nove mulheres advogadas que se destacaram por seus méritos e atitudes no campo profissional, nem sempre ligado ao mundo jurídico, neste ano, ainda como parte das comemorações dos 75 anos de fundação da Ordem paulista.

Entre elas, estão as advogadas Lygia Fagundes Telles, escritora imortal da Academia Brasileira de Letras, e Esther de Figueiredo Ferraz, primeira mulher a ser ministra de Estado e reitora no Brasil.

"O prêmio faz um tributo à primeira mulher inscrita na OAB/SP, Maria Immaculada Xavier da Silveira, e simboliza a mudança e a quebra de paradigmas da atuação da mulher brasileira no mercado de trabalho", explica o presidente da OAB/SP, Luiz Flávio Borges D'Urso.

A advogada Maria Immaculada Xavier da Silveira recebeu o número de inscrição 615, conquistado no dia 26 de janeiro de 1932, conforme a folha 11 do Livro número 1 de Atos dos Trabalhos da Diretoria da Seccional. A primeira advogada de São Paulo nasceu no dia 9 de setembro de 1900, na cidade de Piracicaba. Inscreveu-se na Faculdade de Direito de São Paulo, mais tarde incorporada pela USP, em 29 de janeiro de 1921 e colou grau em 23 de dezembro de 1925.

"Fazer parte da história da advocacia paulista é um privilégio para as mulheres neste milênio. Imagine para uma mulher 75 anos atrás que precisou transpor uma série de barreiras que eram fato comum para a época", destaca Helena Maria Diniz, presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB/SP e presidente da Subsecção da Lapa.

Hoje, mais de 50% dos inscritos na Ordem paulista são mulheres; constituem a metade dos estudantes dos cursos de Direito em São Paulo; representam cerca de 40% da aprovação em concursos para a magistratura, sendo que 25% integram a Justiça Comum e 34% a Justiça do Trabalho, além de estar crescendo o número de ministras que nos Tribunais Superiores, uma revolução no Judiciário brasileiro.

Maria Immaculada Xavier da Silveira cursou os estudos primários e secundários em escolas piracicabanas. Depois de formada pela Faculdade de Direito de São Paulo, ocupou a tribuna do júri no Rio de Janeiro, onde organizou, inclusive, uma Semana da Advogada. Além de conferencista, era fluente nas línguas francesa, inglesa e alemã. Por isso, foi escolhida para dar nome ao prêmio de reverencia o trabalho da mulher no Sistema Judiciário.

  • As mulheres homenageadas pela OAB/SP são :

Adriana Galvão Moura Abílio, advogada, mestre em Direito Constitucional

Chieko Aoki - advogada e empresária da rede hoteleira

Esther de Figueiredo Ferraz - advogada, primeira mulher a ocupar um ministério no Brasil.

Fabiola Marques - advogada, presidente da Associação dos Advogados Trabalhistas de São Paulo

Ivette Senise Ferreira - advogada, conselheira da OAB/SP e primeira diretora da Faculdade de Direito da USP

Laís Amaral Rezende de Andrade - advogada, ex-presidente da Comissão da Mulher Advogada da OAB SP

Lia Junqueira - advogada e diretora do Cerca - Centro de Referência da Criança e do Adolescente

Lygia Fagundes da Silva Telles - advogada, escritora, imortal da Academia Brasileira de Letras.

Maria Odete Duque Bertasi - advogada e presidente do Instituto dos Advogados de São Paulo

_________________

_________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/1/1900 12:00