sábado, 19 de setembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Estudantes não querem câmeras na Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco

Uma votação agitou ontem as Arcadas da tradicional Faculdade de Direito da USP, no Largo de S. Francisco, no centro. Em pauta, a possível instalação de câmeras e catracas eletrônicas nos prédios da faculdade.


Votação

Estudantes não querem câmeras na Faculdade de Direito do Largo de S. Francisco

Uma votação agitou ontem, 25/9, as Arcadas da tradicional Faculdade de Direito da USP, no Largo de S. Francisco, no centro. Em pauta, a possível instalação de câmeras e catracas eletrônicas nos prédios da faculdade.

A sugestão foi feita há pouco mais de um mês, após o assalto à mulher de um professor. Outro roubo ocorreu em março, na sala dos representantes dos alunos.

A votação seria feita pelo Conselho Técnico de Segurança, composto por nove chefes de departamento, um representante dos funcionários, um representante dos alunos e o diretor, João Rodas. Antes, porém, cerca de 80 alunos se manifestaram contra as medidas. Com isso, foi criada nova comissão, formada por três alunos, três professores e três funcionários, presidida pelo professor aposentado Dalmo Dallari.

Já foi decidido que não haverá câmeras no prédio principal. A comissão vai analisar a instalação de equipamentos nos outros dois prédios. "Os mecanismos vão diminuir a incidência de roubos e furtos. Já existe esse controle em outras unidades da USP", diz Rodas.

A pedido dos alunos, as faculdades de Odontologia, na Cidade Universitária, e de Medicina, em Pinheiros, instalaram catracas e câmeras. "Os estudantes querem aumento e treinamento dos vigilantes", diz Carolina Dalla Pacce, representante dos alunos no Conselho de Segurança.

____________________
_______________

Fonte : O Estado de S. Paulo

____________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 1/1/1900 12:00

Compartilhar