Quarta-feira, 22 de maio de 2019 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Cota?

quinta-feira, 5 de maio de 2016


Antevendo a imagem negativa de ter tirado uma mulher da presidência e ter montado um ministério totalmente masculino, ou preponderantemente com esse gênero, Michel Temer mandou sinais para ter ao seu lado a ex-ministra do STF Ellen Gracie (na CGU) e Renata Abreu (na secretaria de Direitos Humanos).

Pra cima de "moi"

Depois da baldada tentativa de ser alçada a um Tribunal Internacional, a CGU – num mandato tampão – é um cargo que não está à altura da ministra Ellen, ex-presidente do Supremo, ainda mais se for para – e tudo indica que é isso - para cumprir a cota feminina. Acerca de Renata Abreu, vejamos. A deputada de primeiro mandato é presidente do PTN/SP e vice-presidente nacional da legenda. Que maravilha, dirá o leitor. Sim, não fosse o fato de que o presidente nacional do partido é o pai. Ou seja, não há luz própria, pelo menos ainda não. Enfim, não é assim, com pastas de somenos importância (um órgão e uma secretaria que nem orçamento têm), que o vice-presidente vai desfazer a imagem que se criou dele, de que mulher para ele deve ser bela, recatada e "do lar".

De Darci Vargas a Marcela Temer

Pelo andar da carruagem, daqui a pouco periga Temer nomear a primeira-dama para a extinta LBA (legião brasileira de assistência).

leia mais