Sábado, 21 de setembro de 2019 Cadastre-se

ISSN 1983-392X

Baú migalheiro

quarta-feira, 4 de setembro de 2019


Há 50 anos, no dia 4 de setembro de 1969, o país era governado por uma junta militar quando guerrilheiros sequestraram, no Rio de Janeiro, o embaixador dos EUA no Brasil, Charles Elbrick. Os 12 militantes envolvidos na ação queriam trocar Elbrick por 15 presos políticos, que viajariam para o exterior, e a divulgação de um manifesto na mídia contra a ditadura. Por mais de 70 horas, Elbrick ficou em uma casa, alugada por um dos sequestradores. Mesmo tendo descoberto o local do cativeiro, a polícia não o invadiu para proteger o embaixador. Depois de violentas brigas internas, a junta militar cedeu. Com a certeza de que os presos haviam desembarcado a salvo no México, os militantes libertaram o embaixador. Para despistar os policiais que os seguiam, deixaram o sequestrado nas proximidades do Maracanã, logo após um jogo, e fugiram no tumulto. 

t

Fonte: Acervo O Globo