Quinta-feira, 18 de julho de 2019

ISSN 1983-392X

Prisão preventiva

Acusado de abusos sexuais, João de Deus se entrega à polícia

Prisão foi decretada após relatos de abuso por mais de 300 mulheres ao MP.

domingo, 16 de dezembro de 2018

O médium João de Deus se entregou às autoridades e foi preso neste domingo, 16, em Abadiânia/GO. O líder espiritual teve o mandado de prisão decretado no fim da manhã de sexta, 14. Uma vez preso, João de Deus será levado para Goiânia, onde prestará depoimento sobre as acusações.

A defesa de João de Deus informou que vai ingressar com habeas corpus.

t

Desde a revelação do caso, quando as primeiras acusações foram reveladas pelo Jornal Nacional e pelo Conversa com Bial, ambos da TV Globo, a promotoria de Abadiânia, em Goiás, recebeu 335 denúncias de abuso sexual contra João de Deus.

As acusações vieram de Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio de Janeiro, Pernambuco, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul, Pará, Santa Catarina, Piauí e Maranhão, e pelo menos seis países – Alemanha, Austrália, Bélgica, Bolívia, Estados Unidos e Suíça. Para receber essas denúncias, o MP/GO realizou uma força-tarefa, inclusive com sala de videoconferência para denúncias a distância.

O crime teria ocorrido durante sessões espirituais no Centro Dom Inácio Loyola, em Abadiânia, cidade a 112 quilômetros de Brasília. O espaço atendia cerca de 10 mil pessoas todo mês – 40% delas eram estrangeiras. Segundo a Promotoria, João de Deus oferecia “atendimentos particulares” a mulheres após os tratamentos, momento em que os abusos seriam cometidos.

A promotoria alega que quatro funcionários são suspeitos de participação nos crimes.

Há informação de que o médium teria retirado R$ 35 milhões de contas e aplicações financeiras após as acusações.

  • Processo: 0161723-72.2018.8.09.0001

informativo de hoje

patrocínio

VIVO

últimas quentes