quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

COLUNAS

  1. Home >
  2. Colunas >
  3. Lauda Legal >
  4. "Redação Forense e Elementos da Gramática"

"Redação Forense e Elementos da Gramática"

quarta-feira, 21 de novembro de 2012


Redação Forense & Elementos da Gramática - 4ª edição








Editora: RT - Revista dos Tribunais
Autor: Eduardo de Moraes Sabbag
Páginas: 444







"O Direito é a profissão da palavra" (o autor)

É com a palavra que trabalha o profissional do Direito, em cujo dia a dia é preciso sobretudo compreender um texto prévio e a partir dessa compreensão argumentar e convencer. O texto - seja ele escrito ou falado - é sobretudo comunicação, devendo ser pautado por clareza e objetividade. Não há como fazê-lo sem dominar o idioma, sem conhecer as regras da gramática, capazes de criar um consenso que privilegia a compreensão.

É com essa preocupação que o jovem autor, já experiente professor de cursinhos preparatórios para concursos, estruturou a obra em capítulos dissertativos, momentos em que conversa com o leitor sobre temas relacionados à redação para, ao final do capítulo, apresentar quadros com dicas práticas, exemplos de dificuldades da Língua, erros comuns a serem evitados. Dentro dessa estrutura, consegue trabalhar ortografia, uso dos pronomes demonstrativos, crase, vírgula, concordância verbal e nominal, enfim, os tópicos mais problemáticos de nossa gramática, aplicando-os sempre de maneira concreta à redação jurídica.

Ao tratar o tema da concisão, lembra a quantidade excessiva de demandas a abarrotar o Judiciário nacional para exortar o advogado a "... transmitir o máximo de ideias com o mínimo de palavras, evitando a 'enrolação'." E lança mão de exemplos, em um dos quais reescreve o requerimento final de uma petição eliminando mais da metade das palavras utilizadas originalmente, deixando-a enxuta e direta, mais elegante e sem nenhum prejuízo para o requerente.

Em outro tópico trabalhado, ressalta a reflexão como pré-requisito para a expressão, desestimulando a exteriorização impulsiva de ideias, o registro de lampejos mal elaborados. No mesmo sentido e em complemento, orienta o profissional do Direito à revisão de seu texto, observando não apenas as regras da gramática mas também a coerência e a coesão na defesa de seu ponto de vista.

São vários os momentos em que resvala na importância da leitura, capaz de propiciar a formação de repertório, a aquisição vocabular. Explorar a riqueza do léxico, defende, amplia a precisão e a beleza do texto. E demonstra-o com exemplos: "Nesta lista há o seu nome/Nesta lista figura o seu nome; A vaidade é coisa deplorável/ A vaidade é vício deplorável; Ele pratica a filantropia, isso o torna um bom homem/ Ele pratica a filantropia, essa virtude o torna um bom homem."

__________

Ganhadora :

Gabriela Carneiro de A. B. Lima, de Niterói/RJ

__________

_________

Adquira já um exemplar :


_________

Atualizado em: 13/11/2012 13:22