sábado, 8 de maio de 2021

MIGALHAS DE PESO

Publicidade

O mindset jurídico

Como é desenvolvido o mindset do futuro profissional do direito em sua formação? Somos incentivados aos desafios? À interdisciplinaridade?

terça-feira, 4 de maio de 2021

(Imagem: Arte Migalhas)

(Imagem: Arte Migalhas)

De uns anos para cá o mundo jurídico vem presenciando interferências de outras áreas do conhecimento que outrora seria pouco vislumbrado. É a área de tecnologia da informação com sua inteligência artificial, são os novos ramos do direito com a transformação da sociedade, tal como compliance, direito digital, bioética entre outros que começam a exigir do profissional do direito um conhecimento mais sistêmico e uma visão mais holística. Acompanhando essa dinâmica surge a importância de se importar para a esfera jurídica as ferramentas de gestão que até então eram relegadas ao universo administrativo, industrial ou de projetos; as chamadas metodologias ágeis.

O universo das metodologias ágeis é bastante vasto com várias ferramentas de desenvolvimento que auxiliam em sua aplicação, tais como o Kanban, PDCA. Bem sabemos que o meio jurídico é bastante formal, tradicional e resistente a mudanças em sua grande maioria. No entanto, vislumbramos uma onda de profissionais que se denominam pertencentes ao chamado de Direito 4.0. Esses profissionais são considerados pioneiros em suas áreas de atuação, pois eles conjugam o direito com outra atividade. Essas pessoas conseguiram enxergar que o direito não é apenas o aprendizado de leis e processos judiciais; muito pelo contrário o mundo jurídico com as mudanças da sociedade é recheado de desafios e oportunidades. A grande questão que se coloca é estão os milhões de profissionais jurídicos antenados para essas transformações? Estão eles abertos e preparados para mudanças de paradigmas de suas profissões? Essas são questões que estão movimentando uma boa parte de profissionais jurídicos.

Todo bacharel em direito se lembra do seu tempo de graduação e de como era o seu currículo. As aulas eram em sua grande maioria divididas em três grandes blocos: disciplinas introdutórias como sociologia, filosofia e uma pincelada de economia; disciplinas jurídicas propriamente ditas (direito civil, direito penal, direito empresarial); e finalmente o estágio. De forma bastante grosseira esse é o currículo base de qualquer graduação em direito. Isso quer dizer que o formando em direito foi treinado e condicionado a pensar em leis, em litígios, em ações judiciais, em concurso público.

Onde estão as oportunidades de se desenvolver uma interdisciplinaridade? Onde estão os incentivos para uma visão sistêmica, tão necessária ao profissional atual? Em minha opinião, na universidade é que não está. O aluno não é incentivado a sair da sua caixinha jurídica; a olhar para ao lado e ver como estão sendo aplicados processos administrativos e organizacionais que poderiam ser adaptados e desenvolvidos para a sua realidade.

A partir da leitura do livro de Carol Dweck, chamado "Mindset - A Nova Psicologia do Sucesso" que comecei a refletir sobre em como o mindset jurídico ainda precisar quebrar algumas correntes e paradigmas. Mindset é uma palavra inglesa que quer dizer mentalidade. Em seu livro a Carol Dweck explica aos seus leitores que após alguns estudos chegou à conclusão de que existem dois tipos de mindset que podemos cultivar na vida: mindset fixo e mindset de crescimento.

As pessoas que têm um mindset fixo acreditam que seus traços, talentos e comportamentos são fixos, imutáveis. Ou seja, a pessoa acredita que nasceu de um jeito e não pode mudar. Ela acredita que nasceu assim e será sempre assim. Já a pessoa que cultiva um mindset de crescimento acredita que a inteligência é mutável e pode ser aumentada através do esforço próprio. Ela sabe que pode se tornar mais inteligente a partir de estudo e treino. Quem tem um mindset de crescimento também acredita que pode desenvolver qualquer talento, habilidade e traço da personalidade através do esforço e trabalho duro.

Assim, este livro nos ensina que aquele pensamento que muitos de nós sempre tivemos sobre talento ou dom não é verdade. Por certo, podemos dizer que algumas pessoas possuem mais facilidade que outras para realizarem determinada atividade, mas isso não quer dizer que o outro não possa desenvolver essa habilidade. Para que tenhamos a capacidade de desenvolver qualquer tipo de habilidade é necessário que aumentemos a capacidade do que a autora chama de mentalidade de crescimento. Isso quer dizer que precisamos ter em mente que nada cai do céu, que os nossos talentos não são inatos, pelo contrário, quer dizer que precisamos ter em mente que sempre é necessário o aprendizado, a prática, a dedicação e o esforço.

O desenvolvimento de um mindset é de extrema importância para o nosso crescimento enquanto seres humanos, não somente no campo profissional como também no campo pessoal. Para trabalharmos com uma mentalidade de crescimento é de extrema importância ter em mente o processo do êxito, em outras palavras o esforço. É importante ressaltar que a autora não diz que pessoas de mentalidade fixa não possuem habilidades, que não sejam inteligentes ou que sejam burras. Mas, segundo ela, uma pessoa de mentalidade fixa é muitas das vezes insegura, então apesar de ser inteligente ela não se desafia, logo não evolui. São pessoas que preferem ficar em uma zona de conforto.

Pode parecer um pouco exagerado o que irei dizer, mas quando eu acabei de ler esse livro, enxerguei o profissional do direito de maneira geral no grupo do mindset fixo e que os desafios enfrentados no meio acadêmico não auxiliam a desenvolver habilidades outras que jurídicas. Esse é o grande diferencial desse grupo pertencente ao chamado Direito 4.0. Essas pessoas, muitas delas já estabilizadas em suas carreiras, se desafiaram e encararam novos universos, aprenderam novas formas de enxergar o mundo jurídico. Aceitaram o desafio de começarem do zero um novo aprendizado e assim fundir com o Direito a TI, a Gestão Estratégica, o Planejamento Estratégico, as famosas metodologias ágeis e daí nos termos as Lawtechs, LegalTechs.

Diante deste cenário onde você quer estar? Como você define o trabalho do profissional jurídico? Acredita que esse movimento veio para ficar e trazer benefício, ou não acha que o direito é imutável? As oportunidades estão postas, resta saber como cada um irá reagir diante do desafio. Continuaremos a manter o nosso mindset fixo fazendo a mesma coisa porque somos bons nisso e ignorando as mudanças ou abraçaremos esses desafios como uma oportunidade de crescimento, de desenvolvimento de novas habilidades, adotando um mindset de crescimento? O poder está em nossas mãos, depende somente de nossas atitudes.

_____________

DWECK, Carol S.; DUARTE, Sérgio. Mindset: a nova psicologia do sucesso. Rio de Janeiro: Objetiva, 2017.

Atualizado em: 4/5/2021 14:05

Marina de Barros Menezes

Marina de Barros Menezes

Advogada trabalhista OAB/RJ 186.489 e professora de francês. Graduanda em história pela FEUC. Especialização em Advocacia Empresarial / PUC-MINAS - 11/2018; Especialização em Engenharia de Produção / FUNCEFET - 10/2012; MBA em Gestão de Pessoas - 06/2008 / Universidade Cândido Mendes.

AUTORES MIGALHAS

Busque pelo nome ou parte do nome do autor para encontrar publicações no Portal Migalhas.

Busca

Publicidade