quarta-feira, 28 de julho de 2021

PÍLULAS

  1. Home >
  2. Pílulas >
  3. Cristiano Zanin Martins, o advogado

Cristiano Zanin Martins, o advogado

quarta-feira, 10 de março de 2021

(Imagem: Marcelo Chello/CJPress/Folhapress)

(Imagem: Marcelo Chello/CJPress/Folhapress)

É bem um momento de fazermos uma nota laudatória ao advogado Cristiano Zanin. No exercício da advocacia criminal, é comum o cliente não se manter fiel a um mesmo advogado. A explicação para isso é fácil. É que quando se está envolvido na causa, sempre aparecem, aqui e ali, pessoas mostrando o sucesso de outro cidadão, apontando como justificativa a atuação de certo profissional. O cliente, leigo, acaba pulando de defensor em busca da solução. Isso quando não vai atrás de um milagreiro, que vende fumaça. Mas aí é outra história, que não cabe aqui. Mesmo porque Lula manteve-se fiel ao mesmo advogado. E o que queremos ressaltar e encomiar é o trabalho profícuo exercido pela defesa do ex-presidente, capitaneada pelo dr. Cristiano Zanin, cujos frutos foram colhidos anteontem, com a decisão, enfim, anulatória das condenações. Salvo engano, o dr. Cristiano, antes do cliente ilustre, não tinha atuação na advocacia criminal. Era um processualista, jovem, mas já colhendo os frutos de sua vocação e dedicação, ajeitando-se entre aqueles que seguramente iriam ocupar o sobranceiro na advocacia. Eis que a flecha do destino lhe rompe os planos de vida e ele passa a ter que defender o ex-presidente, com quem tinha estreitas ligações familiares. A partir daí, sua vida certamente ganhou outro rumo. Na defesa de Lula, cuja rejeição popular - graças ao consórcio que se criou para esse fim - foi às alturas, dr. Cristiano deve ter passado por muitos dissabores, com dificuldades até para a família. Mas não são eles que queremos hoje trazer. Isso fica para outro momento. Queremos aqui ressaltar a combatividade do advogado, a habilidade com que estudou as questões técnicas, e a atuação, além de perfeita do ponto de vista jurídico, sempre lhana e cortês. Não se viu, em todo esse período, em nenhum momento o dr. Cristiano perder a calma. E olha que houve momentos em que isso seria justificado, quando, por exemplo, no caso em que divulgamos com exclusividade, o então juiz Moro, com as câmeras da audiência desligadas, mostrou sua verdadeira faceta e passou a ironizar a defesa de Lula. Situações como essa foram constantes, mas em todas elas saiu-se exemplarmente. E mais, dr. Cristiano não deixou de lutar um minuto sequer, fosse onde fosse. Curitiba, Porto Alegre, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, ONU, OEA, em todo canto havia o causídico peticionando e lutando pelo seu cliente. Nesse sentido, enquanto hoje, logo mais, o que será visto é o presidente Luiz Inácio Lula, soltinho da Silva, o que devemos em um site jurídico é reverenciar o advogado dr. Cristiano, o grande responsável por isso. E, de fato, se as confluências do destino fizeram com que o ministro Fachin, fosse porque fosse, viesse a tomar essa decisão, o fato é que ela não seria possível se não houvesse ali o remédio heroico, com os argumentos bem costurados, assim como tantos que manejou o advogado. Aproveitando a metáfora futebolística, de que tanto se vale o ex-presidente Lula, podemos dizer que, assim como no futebol, que só se pode dizer que um pênalti foi bem batido quando a bola está na rede, assim também é a advocacia criminal, cujo gol é a liberdade plena. Para não decair o estilo, dr. Cristiano colocou a bola no ângulo. Indefensável. Pode correr para o abraço. Parabéns, doutor.

Atualizado em: 10/3/2021 11:56