terça-feira, 11 de agosto de 2020

ISSN 1983-392X

Engano

Erro na emissão de mandado de prisão faz com que pastor seja preso por engano

Paulo Sérgio Cazzador passou a noite na prisão no lugar de homem acusado de estelionato, que é conhecido por Paulo Sérgio Caçador.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Um erro na emissão de um mandado de prisão provocou constrangimento e transtorno para o pastor Paulo Sérgio Cazzador, 48 anos, da Igreja Batista em Conceição do Castelo, Região Serrana do Estado. Ele passou uma noite na prisão, no lugar de um outro homem que é acusado de estelionato na região e que é identificado como Paulo Sérgio Caçador.

O pastor Paulo Sérgio, que é presidente da Associação Cristã Evangélica de Conceição do Castelo, esteve na tarde desta segunda-feira, 1, na presidência do TJ, e contou que passou a noite de 13 para o dia 14/6 deste ano na prisão, em Venda Nova do Imigrante, município vizinho a Conceição do Castelo.

"No dia 7 de junho recebi aviso de um amigo que disse ter tomado conhecimento que a Justiça havia decretado minha prisão. Procurei um advogado e vimos na internet que o nome do sujeito, CPF, mãe e pai eram iguais aos meus. Saí da cidade com medo de ser preso e algemado em público. Mas retornei no Dia do Pastor fui direto para a igreja Batista. Lá, estava um sargento me aguardando, mas ele não me deu voz de prisão. No outro dia, a polícia estava na porta de minha casa e fui informado sobre o mandado de prisão. Decidi, então, me apresentar à Delegacia de Polícia de Venda Nova, porque aquela situação já estava me dando náusea", disse o pastor Paulo Sérgio.

"Fui pressionado pela delegada a confessar um crime de estelionato. O mandado de soltura só chegou às 11 horas do dia seguinte e, quando fui saindo, a delegada disse que gente como eu dava nó em gota de éter. Aquilo revoltou minha esposa. Foi uma situação muito constrangedora. A prisão causou uma repercussão na minha igreja, mas tive o apoio da comunidade. O padre da Paróquia reuniu mais de 40 assinaturas de líderes católicos manifestando apoio à minha pessoa”, disse Paulo Sérgio.

O presidente do TJ/ES, desembargador Pedro Valls Feu Rosa, pediu desculpa ao pastor Paulo Sérgio Cazzador e anunciou que apresentará em breve um projeto que vai tornar mais difícil falhas nos procedimentos judiciários relativos à expedição de mandados de prisão. "Peço desculpa ao pastor Paulo Sérgio; peço desculpa a cada pastor deste Estado; peço desculpa a cada cidadão do Espírito santo que já passou por esse tipo de constrangimento, mas que não teve chance de vir até ao Judiciário fazer sua reclamação", afirmou.

patrocínio

Advertisement

últimas quentes

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram